O desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, afirmou que a entrega do Raio de Segurança Máxima na Penitenciária Central do Estado (PCE) é um “passo gigante” para que os reeducandos possam ser ressocializados e, com isso, reduzir a ocorrência de crimes.

Coordenador do Grupo de Fiscalização e Monitoramento do Sistema Prisional (GMF), Perri participou da entrega do raio, nesta quarta-feira (29.06). 

“Não é possível ressocializar tratando os presos pior do que animais. Esse é um gigante passo do Governo de Mato Grosso para a ressocialização. Estamos trabalhando junto ao Governo do Estado para ter essa ressocialização. Parabéns ao governador Mauro Mendes por todo o carinho, o cuidado e a atenção com o sistema prisional”, declarou.

O Raio de Segurança Máxima possui 54 celas, sendo 46 individuais e 8 duplas, totalizando 62 vagas, além de celas especiais para receber presos com curso superior. Também está equipada com sistema de vídeomonitoramento cuja central de controle das imagens e segurança funciona dentro da ala. 

De acordo com Perri, a atual gestão tem feito fortes investimentos no sistema prisional, fato que tem colaborado para a melhoria dos índices da Segurança Pública em Mato Grosso.

“Tínhamos no início do Governo Mauro Mendes aproximadamente 13 mil presos e 6200 vagas. No governo anterior, o número de vagas havia decrescido, porque não se investia no sistema prisional. O governador Mauro Mendes está aberto e sensível a essa situação, porque bem sabe ele que não se pode combater a violência sem investir no sistema prisional. É aqui que começa o combate à violência”, pontuou.

A previsão é que até o final de 2022, haverá cerca de 12 mil vagas para pouco mais de 11 mil reeducandos, ou seja, uma vaga por preso, fato inédito no país.