A ginecologista e obstetra Bethânia Bianquini Palmiro morreu na tarde de domingo (24) depois de apresentar complicações no pós-parto em um hospital de Cuiabá. A suspeita é de que a médica tenha sofrido uma atonia uterina – perda da capacidade de contração do útero. A bebê passa bem. 

A morte prematura da profissional, que atua em Cáceres, comoveu amigos, colegas de trabalho e pacientes, que se manifestaram nas redes sociais.

Esposa do ortopedista Vicente Palmiro, Bethânia deixa três filhas.

Conforme apurou a reportagem, ela deu entrada no Hospital e Maternidade Femina, teve a filha e depois apresentou eclampsia, que se caracteriza por convulsões decorrentes da hipertensão.

Ela está sendo velada na manhã desta segunda-feira (25), na Capela da Funerária Pax dos Ipês, em Cáceres, e será sepultada no cemitério público, reservado para membros tradicionais da cidade.

Em respeito e homenagem à profissional, várias clinicas do Município interromperam o atendimento nesta segunda-feira (25).

Nas redes sociais, familiares e amigos lamentaram a perda de Bethânia. “Pessoa iluminada que por onde passava deixava sua luz. A partir de hoje ela passará a brilhar nos céus, deixando um vazio imenso em nossos corações. Que Deus possa confortar toda a família enlutada”, escreveu um amigo.

“Acho que Deus precisava de alguém como você ao lado dele. Vá em paz”, escreveu outra amiga.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.