A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra-MT) já iniciou a restauração da Avenida Arquimedes Pereira Lima, em Cuiabá. No total, o Governo de Mato Grosso vai investir R$ 12 milhões para recuperar a Avenida e finalizar mais esta obra originalmente projetada para a Copa do Mundo de 2014.

Os trabalhos na Estrada do Moinho começaram na rotatória do bairro Boa Esperança, na pista sentido Tijucal, com a execução dos serviços de drenagem. Nesta quinta-feira (07.04), começou a correção de defeitos no pavimento.

O trecho da avenida a ser restaurado compreende uma extensão de 4,5 km, entre o Boa Esperança e o Tijucal. O tráfego intenso de veículos e as irregularidades na qualidade dos serviços executados provocaram diversos defeitos no pavimento, ocasionando riscos aos usuários da via.

Segundo o secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, entre os problemas apresentados estavam: afundamento de pista, drenagem mal executada, capa asfáltica de má qualidade e falta de resistência da base e sub-base. “Foram feitas todas as sondagens e ensaios necessários para finalmente darmos uma solução às patologias apresentadas”, afirmou.

Em um primeiro momento, os trabalhos serão realizados sempre em meia-pista, para não impactar o trânsito da região e em nenhum momento haverá interdição total. As obras vão seguir pela pista sentido Tijucal até o fim, e depois retornar pelo lado contrário.

O secretário adjunto de Obras Especiais da Sinfra-MT, Isaac Nascimento Filho, explica que os trabalhos serão realizados de acordo com a necessidade de cada trecho. “Em alguns trechos será necessário fazer escavações para reconstruir a base”, afirmou.

Também está previsto o alargamento das pontes antigas sobre o Córrego do Moinho e sobre o Rio Coxipó, para permitir a passagem de pedestres e aumentar a segurança no trânsito.

Originalmente parte do pacote de obras da Copa do Mundo de 2014, a obra de duplicação da Avenida Archimedes Pereira Lima nunca foi finalizada. A Sinfra-MT rescindiu unilateralmente o contrato com a antiga construtora, atendendo ao parecer elaborado pelos técnicos da pasta e da Procuradoria Geral do Estado (PGE-MT), e lançou nova licitação.

Vale lembrar que a obra do Governo do Estado não tem relação com a recente interdição na ponte sobre o Córrego do Moinho, realizada pela prefeitura de Cuiabá.