A equipe da Coordenadoria do Programa de Artesanato da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT) realizou o cadastramento de 55 artesãos indígenas em quatro aldeias pertencentes ao município de Gaúcha do Norte, região do Alto Xingu, entre os dias 14 e 17 de março.

As informações foram coletadas nas aldeias Nekupai, Kaupüna, Utawana e Yaramü, onde os indígenas fabricam brincos, colares, cestaria, máscaras, redes, cocares, remos, pás para fazer biju (comida típica indígena) e bancos de madeira em formato de animais e pássaros.

Os dados colhidos serão utilizados para a confecção de carteiras de artesão. A inscrição no Sistema de Informações do Cadastro do Artesanato Brasileiro (Sicab) permite ao artesão participar de feiras de artesanato nacionais e internacionais e se inscrever em oficinas e cursos de artesanato.

Os artesãos cadastrados ainda passam a ter direito a incentivos fiscais, isenção do ICMS na comercialização dos produtos, facilidade de obter microcrédito, poderão emitir nota fiscal avulsa de Emissão Eletrônica (e-NFA) e contribuir como autônomo para fins previdenciários.

De acordo com a servidora do Programa de Artesanato, Carolinne Luz, há um interesse crescente pela arte indígena o que incentiva a produção mato-grossense.

“As peças criadas pelos índios têm um design diferenciado o que atrai a atenção do amante de artesanato e com isso a procura por esses produtos tem aumentado bastante. O que vem despertando nos indígenas o interesse em ampliar a produção”, ressalta Carolinne.

Os índios da região possuem um espaço permanente no Parque Lages, no Rio de Janeiro, onde comercializam as peças produzidas em Mato Grosso. Inclusive, já exportaram peças para a Bélgica, Japão e Portugal.

Atuação

Atualmente a Sedec possui cerca de 8 mil artesãos registrados no Programa de Artesanato. Desse total, 6.980 possuem a Carteira de Artesão. Os atendimentos já chegaram a 91 municípios do Estado.