O julgamento de Aldirene da Silva Santana, de 26 anos, acusada de matar a amiga Fernanda Souza, de 22 anos, com uma facada no peito, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, está sendo realizado nesta terça-feira (8), naquele município. O júri é virtual.

Fernanda foi assassinada em uma quitinete no Bairro Jardim Paulista, em Rondonópolis, onde Aldirene morava.

Aldirene e Fernanda eram amigas.

Conforme a denúncia feita pelo Ministério Público Estadual (MPE), a vítima teria falado para o namorado de Fernanda que ela se relacionava com outros homens. O boato espalhado pela ré, segundo o MPE, se deu porque a vítima estava se relacionando com o ex-namorado dela.

Fernanda Souza Silva, de 22 anos, foi morta durante uma briga em Rondonópolis — Foto: Facebook/Reprodução

No dia do crime, Fernanda e o então namorado resolveram terminar a relação, mas a vítima foi até a casa de Aldirene para tirar satisfações sobre o boato.

Após uma discussão, Aldirene teria pego uma faca e deu um golpe no peito da vítima, que morreu devido às lesões no pulmão e coração.

Uma testemunha que foi com Fernanda até o local contou à polícia que quando chegaram na casa de Aldirene, a suspeita já estava armada com uma faca e permaneceu armada durante a conversa. Entretanto, em determinado momento, elas começaram a discutir, até que a suspeita desferiu um golpe no peito de Fernanda.

Aldirene chegou a ser presa, mas foi solta por determinação judicial dois meses após o crime.