A primeira pessoa no mundo a receber o coração geneticamente modificado de um porco em um transplante morreu na tarde de terça-feira (8/3), no Centro Médico da Universidade de Maryland, dois meses após a realização da cirurgia.

O paciente de 57 anos ficou famoso no início do ano por ter passado pela cirurgia experimental. Ele se chamava David Bennett e concordou em receber o coração do porco como uma última alternativa após ter sido reprovado em várias listas de espera para receber um coração humano.

Ainda não está claro se o corpo de David rejeitou o coração transplantado. “Não havia nenhuma causa óbvia identificada no momento de sua morte”, disse uma porta-voz do hospital, a cirurgia havia sido realizada no mesmo local.

Corajoso e nobre

O cirurgião responsável pelo transplante, Bartley Griffith, lamentou a morte de David. “Ele provou ser um paciente corajoso e nobre que lutou até o fim. Bennett tornou-se conhecido por milhões de pessoas em todo o mundo por sua coragem e firme vontade de viver”, afirmou.

O transplante de coração foi um dos vários procedimentos pioneiros nos últimos meses em que órgãos de porcos geneticamente modificados foram usados ​​para substituir órgãos em humanos. O processo, chamado xenotransplante, é encarado com grande esperança na comunidade médica porque as doações de órgãos são escassas.