A bebê de 6 meses vítima de violência sexual e que estava internada em uma unidade de saúde de Pontes e Lacerda (448 km ao Oeste de Cuiabá), morreu na manhã desta quinta-feira (10). Ela estava sendo transferida para Cuiabá devido ao agravamento do seu quadro clínico.

A morte foi confirmada pelas autoridades da cidade, que estão cuidando do caso. A denúncia do estupro veio à tona nesta quarta-feira (9), após a prisão do padrasto da menina. Ela estava internada com sintomas de pneumonia e estava respirando com ajuda de balão de oxigênio.

Foi durante uma consulta que a equipe médica conseguiu observar os sinais de crime sexual, tal como hímen rompido, candidíase e secreção na genitália, além de dilaceração anal. A internação aconteceu na noite de segunda-feira (7).  

O caso

O homem de 31 anos, suspeito de abusar sexualmente da filha de sua namorada, uma bebê de apenas seis meses, teve a prisão temporária cumprida na manhã da última quarta-feira (09.03), em Pontes e Lacerda.

A prisão foi representada à Justiça pela Polícia Civil depois que a equipe da Delegacia de Pontes e Lacerda reuniu informações que apontaram o suspeito como o possível autor de abuso sexual contra a bebê.

A delegacia foi comunicada pelo Conselho Tutelar, na manhã de terça-feira, sobre o estado da criança que deu entrada no Hospital Vale do Guaporé com indicativos de um possível abuso sexual. A menina, que tem deficiência, continua hospitalizada, pois apresenta também um quadro de pneumonia.

Os exames realizados na unidade hospitalar indicaram que a criança sofreu abuso sexual. No hospital, a mãe da bebê tentou atrapalhar o trabalho da equipe médica ao ser comunicada que a filha passaria pelos exames.

A equipe da Polícia Civil, com apoio da PM, realizou diligências para reunir mais informações e localizar o suspeito, que foi conduzido à delegacia.

A mãe da bebê também foi encaminhada à unidade policial e ouvida pelo delegado Matheus Prates de Oliveira. Ela declarou que tinha um relacionamento com o suspeito há dois meses, desde que ele havia saído de uma unidade prisional, onde ficou detido por outros crimes. A mulher disse também que não confiava no companheiro, pois sempre que ele fazia uso de substância entorpecentes gostava de pegar a bebê no colo e de brincar com a outra filha dela, de sete anos.

Já o suspeito permaneceu em silêncio durante o interrogatório.

Com base nas informações colhidas nas diligências iniciais, o delegado Matheus Prates instaurou inquérito e representou pela prisão temporária do suspeito, que foi deferida pela Justiça.

O delegado vai apurar também a conduta da mãe, se ela tinha ciência dos atos praticados pelo suspeito e se foi conivente com a situação.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.