Cerca de 730 servidores concluem no próximo mês a pós-graduação Gestão Integrada em Segurança Pública na modalidade de ensino a distância, uma parceria entre a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).

Um dos principais objetivos do curso é a integração da Educação e a Segurança Pública como forma de capacitar o quadro de servidores da Sesp para aprimoramento da gestão das atividades desempenhadas e pelos serviços ao cidadão e de contribuir para que desenvolvam uma visão estratégica e integrada.

Fazem parte servidores vinculados à Sesp e das forças de segurança como a Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros, servidores do Departamento Nacional de Trânsito (Detran), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e do Sistema Penitenciário. 

O curso contém 500 horas/aula, sendo 400 teóricas e 100 horas complementares, tendo os seguintes componentes curriculares: políticas públicas de Segurança Pública, introdução a atividade de Inteligência, análise criminal, atuação policial, gestão pública gerencial, direitos humanos aplicados à atividade policial, entre outros.

Entre um dos alunos é o investigador da Polícia Judiciária Civil, lotado no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) da Sesp, Joaquim Luiz de Amorim Filho.

Ele é condutor e operador dos Centros Integrados de Comando e Controle Móvel (CICCM) e da Plataforma de Observação Elevada (POE), instalados em carretas que auxiliam no suporte em Operações Integradas das forças de Segurança como Lei Seca, Operações de Combate a Incêndios Florestais, Operação de Combate ao desmatamento ilegais, entre outras.

O servidor explica que no ano passado os setores foram acionados para dar suporte na Operação Abafa Amazônia, considerada uma das operações mais utilizada em ações de combate ao uso irregular do fogo e também na Operação Sumauna, com foco na redução do desmatamento e queimadas em Estados que compreendem a Amazônia Legal, em parceria com o Exército Brasileiro.

O investigador aponta que o curso foi uma ótima oportunidade para qualificação e aperfeiçoamento dos trabalhos executados à frente da Segurança Pública.

“O curso é de suma importância para a ampliação e desenvolvimento do nosso trabalho dentro dos nossos setores, principalmente com os centros integrados e com controle móvel. Além disso, não deixa de ser uma oportunidade para adquirir conhecimento e valorizar o nosso currículo”, afirma.

Já o coordenador do curso, Adriano Breunig, pontua que há outras duas parcerias entre as instituições com o curso de Gestão Integrada de Aperfeiçoamento de Oficiais (CAO) da PM e de Gestão Integrada Curso Superior de Polícia (CSP), para Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e delegados.

“Tanto para o IFMT e para o Estado, é aproximar a Educação da Segurança Pública que reverte para todo cidadão, pois naturalmente melhora a qualidade do trabalho e formação. Esse é o objetivo e essa é a primeira vez feito sem custos nenhum pelo Estado”, comenta Breunig.