Representantes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) se reuniram com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Ministério Público do Estado (MPMT) para trocar informações e experiências acerca do monitoramento do desmatamento realizado por satélites por ambos os órgãos. 

Durante dois dias de agenda em São Paulo, entre  17 e 18 de fevereiro, a Sema apresentou o monitoramento feito em todo o território estadual por meio de satélites Planet de alta resolução, e análises recentes dos dados feitas pela equipe técnica do órgão. Em Mato Grosso, essas informações são utilizadas para aprimorar a fiscalização de crimes ambientais, a regularização ambiental dos imóveis rurais e o licenciamento ambiental. 

O Inpe  mostrou detalhes da concepção e metodologia da operação dos sistemas de monitoramento do desmatamento dos projetos de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) e Sistema de Detecção de Desmatamentos em Tempo Real (Deter).

Novos encontros devem acontecer nos próximos meses com o objetivo de compartilhar informações das ações em campo dos órgãos envolvidos. 

“Firmamos o compromisso de realizar novas missões conjuntas para continuar o aprimoramento das ações de monitoramento e fiscalização. O envolvimento e integração de diversos órgãos é necessário para aprimorar o processo de monitoramento e combate ao desmatamento ilegal”, avalia a secretária de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso, Mauren Lazzaretti. 

Os dados do Inpe de alertas de desmate são os oficiais do País. Conforme dados do Inpe/Deter, no último semestre, de agosto de 2021 a janeiro de 2022, a redução de alertas em MT foi de 22%, em comparação com o mesmo período do ano anterior. 

Também participaram da agenda o secretário Executivo de Meio Ambiente, Alex Marega, o coordenador de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental, André Dias, o promotor de Justiça do Ministério Público do Estado, Marcelo Vacchiano, e a equipe técnica do projeto SatAlertas.