Os técnicos da Empaer iniciaram a avaliação dos resultados da primeira de quatro etapas junto aos produtores do programa estadual MT Produtivo Leite de Colíder (a 650 km de Cuiabá). Os resultados são positivos, com taxa de prenhez em 41,4%, comparada à média em outras regiões que não ultrapassa 30%.

Em Colíder, os trabalhos foram realizados em 30 propriedades, com a conclusão da primeira etapa entre 7 e 11 deste mês, com saldo de 215 embriões implantados. A produção atual está em torno de 4 litros diários, mas, com a expectativa de chegar a 15 litros por dia.

Pablo Eduardo Wolf, da comunidade de Nova Galileia, é um exemplo do produtor que conseguiu avançar na produção, pois obteve 17 prenhez em sua propriedade, das quais oito crias já nasceram, outras 7 estão sendo aguardadas para maio e junho; e o restante para os meses seguintes.

“Estou muito satisfeito e contente com o resultado. Minha expectativa é aumentar a produção leiteira da nossa criação que é misturada, mas de boa qualidade. Toda equipe envolvida na assistência técnica tem nos auxiliado e tirado prontamente as dúvidas que vão surgindo durante o processo”.

Os técnicos da Empaer, a médica veterinária Tatiany Fernandes e Cleverson Sérgio Braz Mateus, estão à frente da execução do programa no município e destacaram que a iniciativa em médio e longo prazo vai melhorar os rebanhos leiteiros da região e colaborar com a profissionalização da atividade leiteira em Colíder.

“O trabalho representa um grande avanço na cadeia produtiva uma vez que oferece aos pequenos produtores a oportunidade de trabalhar com animais de alto potencial produtivo e profissionalizar cada vez mais a atividade”.

Para a médica veterinária Vânia Kohl, da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), a proposta é justamente melhorar a qualidade genética do rebanho leiteiro, o que impacta diretamente na produção de leite e de uma forma muito mais rápida, além impactar positivamente na qualidade de vida dos produtores.

“Atendemos produtores que não teriam condições de pagar sozinhos pela tecnologia, então, com o programa, o Governo do Estado cobre 80% do valor da prenhez da raça Girolando 1/2 sangue e a entidade parceira outros 20%. A iniciativa que envolve várias instituições estaduais, prefeituras, cooperativas e associações gerando maior eficiência no campo e fortalecendo o trabalho em parceria”.

O manejo reprodutivo foi realizado pela empresa Gaeti Reprodução Animal, sob a responsabilidade do médico veterinário Douglas Gaeti. As doadoras utilizadas são vacas Gir, com produção superior a 5 mil kg/lactação e os touros doadores são animais importados que preenchem todos os pré-requisitos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).