Vinte e seis reeducandos do Centro de Ressocialização de Sorriso (CRS) foram contratados para exercerem funções nas áreas de construção civil, auxiliar de cozinha, madeireira, transportadora e em loja de materiais para construção. 

A nova oportunidade faz parte de uma parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), por meio da Fundação Nova Chance (Funac), o Conselho da Comunidade e o Poder Judiciário do município. 

De acordo com o diretor do CRS, Enilson de Castro Souza, os recuperandos têm uma jornada de trabalho de 44 horas semanais, com intervalo para almoço. Eles ainda recebem um salário mínimo e a cada três dias trabalhados um dia de pena é reduzido.

Os critérios para contratação dos novos colaboradores é terem cumprido 1/6 da pena e ter um bom comportamento na unidade, que é o que estabelece a Lei de Execução Penal (LEP). “Não mediremos esforços para conseguir a contratação de mão de obra de recuperandos da unidade. É uma ação conjunta de muitos gestores para fazer esse trabalho dar certo”, afirmou. 

O presidente da Funac, Emanoel Flores, explica que o principal papel da instituição é promover a ressocialização, resgatando a autoestima e sendo uma oportunidade de renda para o recuperando.

“Eles são contratados como qualquer outro funcionário da empresa, sem distinção de uniforme, de local de almoço e com todos os direitos garantidos. Atualmente são mais de 900 contratos por intermediação da Funac”, completou. 

A autorização para a atividade extramuros foi dada pela juíza da 1ª Vara Criminal de Sorriso, Emanuelle Chiaradia Navarro Mano, que ressaltou a importância das ações de ressocialização para diminuir as chances de reincidência. 

“Assim, eles conseguem já ter algum rendimento financeiro e profissional após deixarem a unidade. É importante chamar atenção para que outras empresas também façam parceria para contratação de mão de obra dos reeducandos”.