Ao longo de 2021, Mato Grosso obteve um aumento de 33% na geração de empregos formais no comparativo com o ano anterior, conforme o último levantamento do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério da Economia. Ao todo, foram registradas 121.326 novas admissões.

O Estado acumulou 484.811 contratações ante a 421.020 desligamentos. O estoque de empregos formais, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos, ficou em 791.095, resultado superior se comparado com 2020, que registrou 727.304 vínculos.

“Nós conseguimos esse saldo positivo com toda a segurança jurídica, com os incentivos fiscais aplicados corretamente para atrair empreendedores, com políticas públicas através da nossa Agência de Desenvolvimento apoiando o pequeno e o médio, com simplificação tributária. Ou seja, é a mão do Estado atuando para facilitar a vida de quem quer trabalhar e ter o seu negócio aqui”, destacou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Cesar Miranda.

Impulsionados pelo conjunto de ações do Governo de Mato Grosso, apesar dos impactos da pandemia da Covid-19, os setores do comércio e serviço foram os que mais se destacaram, com 157.832 e 155.545 admissões, respectivamente.

Nos últimos três anos, o Governo de Mato Grosso reduziu ou isentou impostos e taxas em 70 itens, desde combustíveis, IPVA, taxas do Detran e energia elétrica. Além de aliviar o bolso do cidadão, essas medidas fomentam a economia e tornam o Estado mais atrativo para investir e gerar emprego.

O Governo do Estado gerou ainda inúmeras vagas de trabalho em diversos setores da infraestrutura (obras de restauração e pavimentação) com novas construções de hospitais, escolas e pontes. No acumulado do ano, as atividades de construção criaram 41.584 empregos.

“São mais de R$ 600 milhões investidos só em infraestrutura escolar, mais de R$ 3 bilhões de investimentos em asfalto novo, recuperação de rodovias, seis novos hospitais sendo construídos, além da reforma dos hospitais regionais. O Estado está investindo 15% da Receita Corrente Líquida e isso não só gera novos empregos, mas dá a certeza para o setor privado de que temos um Governo que se reequilibrou financeiramente e que tem condições de crescer cada dia mais”, reforçou o titular da Sedec.

O setor da agropecuária registrou 50.651 contratações, enquanto a indústria teve 71.844 empregos criados.

Na contagem geral, Mato Grosso terminou 2021 com saldo positivo de mais de 63,7 mil novas vagas de empregos com carteiras assinadas, um aumento de 592% no comparativo com 2020, que totalizou saldo de 9.208 novos empregos.

Os números colocam o Estado sem segundo lugar no ranking da região Centro-Oeste, atrás apenas do estado de Goiás, que alcançou saldo de 107.215 novos empregos.