Mato Grosso tem se tornado referência no país quando o assunto é o combate ao tráfico de drogas doméstico e internacional. Prova disso, é que em cinco anos, as Forças de Segurança foram responsáveis por um aumento de 167% na apreensão de entorpecentes, passando de 11,6 toneladas em 2017 para 31,2 toneladas em 2021.

No ano passado, além da apreensão recorde, a Polícia Civil realizou a maior apreensão de maconha nos últimos anos, quando a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) interceptou um caminhão que transportava cinco toneladas de maconha, em meio a uma carga de tutano, no sul do Estado.

O Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) também realizou a maior apreensão de cocaína desde sua criação, em 2002. O caso ocorreu em setembro, quando 999 tabletes de substância análoga à cocaína, totalizando 1.064 quilos de entorpecentes, foram encontradas em um fundo falso de um caminhão.

Para este ano, os resultados não serão diferentes. Em janeiro, o Gefron já realizou a apreensão de mais de 1 tonelada de entorpecentes, maior quantitativo já registrado no mês em relação aos outros anos.

Para o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, o crescimento no número de apreensões é um indicativo de que os investimentos no aparelhamento das forças de segurança estão dando certo.

“A aquisição de novas armas, fardamentos, coletes, EPIs, viaturas, os investimentos em tecnologia de ponta, a exemplo da radiocomunicação digital e a instalação de câmeras OCR, vem auxiliando o trabalho das instituições de segurança e, consequentemente, aumentando a produtividade, dando uma resposta ao crime organizado e promovendo a sensação de segurança da população”, destacou Bustamante.