Uma menina de 6 anos morreu após levar um choque ao colocar o celular para carregar em uma extensão, em Niquelândia, no norte de Goiás. A criança chegou a ser socorrida com vida, mas não resistiu e morreu no hospital.

O caso ocorreu no sábado (19). De acordo com a Polícia Militar de Goiás, a menina estava em casa com a família no momento do acidente. Ela foi levada ao hospital, onde uma equipe médico tentou por 30 minutos reanimá-la, mas a garota não resistiu.

Em dezembro do ano passado, um adolescente de 14 anos também morreu após tomar um choque quando estava mexendo no celular conectado a uma extensão. O caso aconteceu em Alexânia (GO), no Entorno do Distrito Federal.

Em dezembro do ano passado, um adolescente de 14 anos também morreu após tomar um choque quando estava mexendo no celular conectado a uma extensão. O caso aconteceu em Alexânia (GO), no Entorno do Distrito Federal.

De acordo com os familiares Max Willyan dos Reis Gomes, a extensão usada pelo jovem não tinha nenhum problema aparente. “A gente não viu nenhuma explosão, mas a extensão abriu. Ele ficou com o celular grudado ao corpo”, disse Marilene Gomes da Silva Maia, tia da vítima.

Os casos reacendem o alerta sobre os riscos da prática de usar o aparelho enquanto a bateria é recarregada. Os aparelhos celulares e os acessórios como baterias e carregadores são homologados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e, desde que usados de maneira adequada, considerados seguros.

No site da Anatel são divulgadas dicas para prevenir acidentes. A agência ainda alerta para o uso de equipamentos piratas. De acordo com as orientações publicadas no portal, esses aparelhos não homologados podem apresentar falhas graves, choques elétricos, superaquecimento, fogo ou explosão mesmo quando utilizados em condições normais.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.