Um dos pontos culturais de Mato Grosso, o Museu de História Natural passou a ser conhecido também por adolescentes que cumprem medidas socioeducativas no Centro de Atendimento Socioeducativo de Internação Masculina (Case) de Cuiabá. Ao todo, quatro jovens visitaram o espaço cultural, nesta sexta-feira (25.02).

A ação é realizada pelo Núcleo Oficinas Socioeducativas (NOS), que está inserido no Projeto Político Pedagógico da unidade. A visita teve como objetivo proporcionar aos adolescentes a socialização e a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história e cultura do Estado.

O Museu de História Natural de Mato Grosso é um espaço de memória e fomento da cultura de populações tradicionais, no qual, promove o conhecimento arqueológico, paleontológico e etnológico aos visitantes.

O coordenador do Núcleo Oficinas Socioeducativas (NOS), Jean Monteiro, relata a importância de mostrar e aproximar os jovens da cultura, proporcionando o conhecimento e uma nova perspectiva de futuro.

“O nosso intuito é promover a socialização desses jovens e ampliar a visão de mundo deles por meio da cultura, desenvolvendo, dessa forma, uma nova perspectiva de futuro. Muitos não têm acesso à cultura e esse contato que queremos proporcionar”, destacou Jean.

No museu, os adolescentes puderam conhecer e entender sobre o tempo geológico e pré-história, além de caminhar na exposição permanente que reúne fósseis de dinossauros, preguiças e tatus gigantes, assim como os fósseis marinhos do período em que toda a região de Cuiabá e Chapada dos Guimarães eram mar.

Além da visita, os adolescentes realizaram a oficina de Stencil, aprendendo a transformar os desenhos em moldes que serão utilizados para criar estampas e personalizar camisetas.

Oficinas

O Projeto Oficinas Socioeducativas (NOS), oferece também aos adolescentes, oficinas nas áreas de artes, letras e jogos recreativos, dentro do eixo de cultura e lazer, proposto pelo Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase).

São mais de 40 jovens que participam durante a semana na unidade de oficinas de informática, pintura, teatro, violão, culinária, dança, percussão e lazer desenvolvidas pelos socioeducadores e voluntários da unidade.

(Com supervisão de Julia Oviedo)