Com o objetivo de oportunizar uma nova profissão aos reeducandos do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Lucas do Rio Verde (333 km de Cuiabá), a unidade conta com um projeto de marcenaria para a produção e doação de casas de pets às instituições ligadas ao acolhimento e resgate de animais de rua e para famílias carentes.

O diretor do CDP, Joselito Silva Alves, explica que o projeto teve início em novembro do ano passado e que já entregou mais de 60 casas de pets e que agora possuí outras 20 produzidas e que ainda serão entregues nos próximos dias.

“Já temos alguns parceiros e instituições que entram em contato com a gente para vir buscar as casas. Nosso projeto teve uma grande aceitação de pessoas interessadas em receber essas doações, seja de instituição ou de pessoas que não possuí condições de comprar essas casinhas”, contou.

Atualmente, o projeto conta apenas com dois recuperandos, sendo um marceneiro profissional e um auxiliar, no entanto, a intenção é fechar parceria com a Prefeitura do Município para poder ampliar a oportunidade aos demais reeducandos da unidade.

“Nossa ideia é fazer uma parceria com a Prefeitura do Município até mesmo para podermos ter melhores condições de cobrir as despesas de maquinários e poder ampliar ainda mais a mão de obra. Nosso objetivo ainda é de fazer um trabalho que seja remunerado”, ressaltou.

Os reeducandos trabalham todos os dias da semana e são beneficiados com redução de um dia de pena a cada três dias trabalhados. Conforme Joselito, o projeto tem o intuito de promover a ressocialização dos internos.

“No projeto, eles estão ocupando a sua mente e também produzindo para terem consciência que estão ajudando à sociedade. O intuito principal é a ressocialização já com uma profissão, pois visa formar profissionais na área de marcenaria, para que eles possam sair e ter uma oportunidade no mercado de trabalho”.

Uma das instituições parceiras do projeto é a SOS Animais de Rua que descobriu o projeto no momento que mais precisava. “Recebemos muitas denúncias de abandono e muitas instituições estão no limite de abrigar novos animais. Nós já tínhamos uma ação de fazer casinhas e distribuir nos pontos de maior abandono, foi quando então surgiu essa parceria com a unidade podendo ampliar o número de doações”, contou Rosimare Dumke, voluntária do SOS Animais de Rua de Lucas do Rio Verde.