A mostra “O Pantanal através dos esqueletos”, aberta ao público no Museu de História Natural de Mato Grosso, foi prorrogada até 13 de fevereiro. Com ossos de jacaré, anta, quati, tuiuiú, capivara e até uma sucuri de dois metros de comprimento, a exposição é uma oportunidade para conhecer um pouco mais sobre o bioma do Pantanal e como é a interação de cada um desses animais no ambiente.

“A exposição tem como objetivo apresentar aos visitantes a anatomia animal de forma simples e interativa, possibilitando a observação dos ossos para demonstrar a relação destes com os hábitos e habilidades de cada animal. Entre os esqueletos exibidos estão a sucuri, a anta, maior mamífero terrestre do Brasil, e o tuiuiú, ave símbolo do Pantanal”, destaca a curadora do Museu, Vitória Ramirez Zanquetta.

Os esqueletos integram acervo da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e foram reconstituídos em tamanho real para a exposição temporária, realizada em parceria com o Laboratório de Anatomia Animal Comparada da UFMT.  

Exposição permanente

Além da mostra temporária, o Museu de História Natural de Mato Grosso possui a exposição permanente, composta por um acervo de fósseis de animais da região e artefatos produzidos pelo homem desde a pré-história. Ela apresenta uma perspectiva da origem da terra, as transformações da biodiversidade pré-histórica de Mato Grosso, as populações originárias do Estado e a diversidade cultural dos povos indígenas. 

Um dos destaques é a réplica do esqueleto de um dinossauro que habitava a região da Chapada dos Guimarães durante o período em que a cidade foi mar. Também conta com as instalações do Homem do Holoceno, com esculturas de argila que reproduzem cenas cotidianas dos povos pré-históricos.

A exposição inclui a história do prédio onde fica o Museu. Patrimônio histórico de Mato Grosso, a Casa Dom Aquino foi construída pelo patriarca da família Murtinho, em 1842. A casa é conhecida por alguns historiadores como a ‘Casa Predestinada’, pois nela nasceram duas personalidades ilustres de Mato Grosso: Joaquim Duarte Murtinho e Dom Aquino Correa. 

Construída em estilo colonial, possui traçado arquitetônico em formato de “U”, com 12 cômodos e fachada voltada para o rio Cuiabá. Essa é uma característica histórica de Cuiabá do século XIX, quando a cidade dependia do rio para a pesca e transporte. Hoje é a única edificação do século XIX da cidade de Cuiabá que guarda essas características.

Serviço:

O Museu de História Natural Casa Dom Aquino é um dos equipamentos culturais da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), em funcionamento sob gestão compartilhada com o Instituto Ecossistemas e Populações Tradicionais (Ecoss).

Endereço: Avenida Beira Rio, nº 2000, bairro Jardim Europa, Cuiabá-MT

Visitação: de quarta a domingo, das 8h às 18h

Entrada: R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia). Área verde e parquinho: gratuito.

Telefones para contato: (65) 3634-4858 Site: http://museuhistorianaturalmt.com.br/