A Petrobras vai reduzir o preço de gasolina nas refinarias em 3,13% a partir desta quinta-feira, informou a estatal, o primeiro corte desde junho passado. Apesar da queda, o combustível acumula alta de 67,9% desde janeiro. O diesel não terá variação de preço.

O movimento da empresa havia sido antecipado pelo presidente Jair Bolsonaro no início do mês. Em entrevista ao site Poder 360, Bolsonaro disse que a estatal ia começar a diminuir os preços da gasolina.

— A Petrobras começa esta semana a anunciar a redução no preço do combustível. Nesta semana já começa a anunciar — disse no dia 5 de dezembro, enquanto acompanhava a final do campeonato de futebol do Minas Brasília Tênis Clube, em Brasília.

Petróleo e câmbio mais estáveis

De acordo com a Petrobras, o preço médio de venda da gasolina para as distribuidoras passará de R$ 3,19 para R$ 3,09 por litro, a partir de amanhã.

A queda não chegará na mesma proporção nem de forma imediata ao confumidor final, pois o preço cobrado nos postos é composto não apenas do combustível em si como também de tributos e margem das distribuidoras.

Em nota, a Petrobras afirmou que o ajuste reflete, em parte, a evolução dos preços internacionais do petróleo e da taxa de câmbio, que se estabilizaram em patamar inferior para a gasolina.

A estatal reiterou “seu compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato para os preços internos, das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais”.

Na avaliação do diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, Adriano Pires, o principal reflexo da variação do preço da gasolina neste momento é preocupação do mercado global com os rumos da nova variante do coronavírus Ômicron.