Ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro foi o convidado do programa Conversa com Bial, da madrugada desta terça-feira, 16. Recém-filiado ao Podemos, o ex-juiz da Lava Jato disse estar preparado para ser candidato à presidência da República em 2022. “Estou pronto para liderar esse projeto, e construindo um projeto consistente com o povo brasileiro. Se o povo brasileiro tiver essa confiança, o projeto segue adiante”, declarou.

Porém, informou que também aceitaria renunciar ser “cabeça de chapa”. “Nunca tive a ambição de cargo político. Existem outros nomes que têm se habilitado para fugir dos extremos. Então, se tiverem outras lideranças, não tem nenhum problema de conversarmos. Temos que ter o desprendimento necessário para nos unirmos em algum momento”, apontou.

Ao ser questionado mais uma vez pelo apresentador Pedro Bial se isso seria o anúncio da candidatura, enfatizou: “Essa jornada começa agora com a filiação. Estamos aberto para colocar o Brasil nos trilhos. Vai muito além do combate à corrupção. Precisamos nos tornar o país do futuro finalmente. Estou sim preparado”.

Logo na abertura da entrevista, Bial questionou também de que forma ele tem feito esta movimentação no bastidor político. Moro então explicou que tem apoio de um grupo de especialistas e que as conversas estão voltadas principalmente à economia.

“O problema é que esse projeto ainda está sendo construído e a partir do momento em que se revelam nomes, as pessoas ficam sob uma pressão terrível. Eu vou revelar um, e vou pedir escusas para não revelar outros: no nível macroeconômico quem tem me ajudado é um economista de renome, um dos melhores nomes do país, alguém que eu conheço há muito tempo, que é o Affonso Celso Pastore”, disse.

Doutor em economia, colunista do Estadão e ex-presidente do Banco Central (1983 – 1985), Pastore lançou recentemente livro “Erros do passado, soluções para o futuro: A herança das políticas econômicas brasileiras do século XX”.

A entrevista faz parte da série e entrevistas que a atração global está promovendo com personagens importantes para o pleito do ano que vem. Já passaram pelo programa personalidades como Fernando Haddad e Ciro Gomes.

No último dia 10 de novembro, Sergio Moro filiou-se ao Podemos e reforçou o seu discurso de combate à corrupção. Embora ainda não tenha se lançado oficialmente como candidato, ele disse que seu nome está à disposição para liderar um projeto nacional, vislumbrando se tornar um dos nomes da chamada terceira via.

Na ocasião, o ex-ministro da Justiça prometeu ainda criar uma nova força-tarefa para o combate à pobreza, defendeu a liberdade de imprensa e reforçou a necessidade de reformas – especialmente a tributária – e a privatização de estatais ineficientes.

Afastado do debate nacional desde que deixou Ministério da Justiça em abril de 2020 quando foi atuar em uma empresa de consultoria nos Estados Unidos, o ex-juiz tenta conseguir apoio nas bases “lavajatistas”, incluindo grupos que lideraram as manifestações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), como o Vem Pra Rua e o Movimento Brasil Livre (MBL).