Anúncios

O pedreiro de 56 anos, que confessou ter estrangulado Joice Maria da Glória Rodrigues, de 25, com uma camiseta e ter concretado o corpo em uma parede, foi encontrado com uma sacola de calcinhas. Em depoimento à de São Vicente, no litoral de São Paulo, o homem disse que usava as calcinhas achadas no local do assassinato.

O suspeito afirmou para a polícia que as calcinhas eram dele e que ele gostava de usar as peças de roupa íntima, de acordo com o G1. O delegado que conduz o caso, Thiago Nemi Bonametti, disse que o marido de Joice avaliou as peças e afirmou que nenhuma delas eram da vítima.

Nesta terça-feira (5/10), o pedreiro de 56 anos relatou em depoimento que usou drogas e manteve relações sexuais com a vítima antes de a estrangular com uma camiseta e depois concretar o corpo em uma parede de um imóvel em construção na Rua Senador Lúcio Bittencourt, no bairro Esplanada dos Barreiros, em São Vicente.

Os policiais da 3ª Delegacia de Investigações sobre Homicídios da DEIC consideram o homem de 56 anos responsável pela morte de Joice. Ele foi preso em flagrante na terça-feira (5/10) por ocultação de cadáver. Um homem de 35 anos, que também foi detido, é suspeito de auxiliar no crime.

Desaparecimento

Joice Maria da Glória Rodrigues, 25 anos, estava desaparecida desde 27 de setembro. Ela morava no bairro Quarentenário, na área continental da cidade no litoral de São Paulo, com o marido e duas filhas. Segundo a família, a saiu para visitar o avô, no bairro Parque Bitaru, na área insular, e desapareceu.

Ela teria ficado no local até por volta das 19h, quando saiu. Desde então, a jovem não foi mais vista. A família registrou um boletim de ocorrência de desaparecimento de pessoa na Delegacia Sede de São Vicente, para a polícia investigar o caso.