Anúncios

A Justiça aceitou a denúncia contra Pablo dos Trindade, 35, acusado de matar a mulher Laís de Jesus Cruz, 29, e enterrá-la nos fundos de casa. O personal trainer responderá judicialmente pelos crime de feminicídio, fraude processual e ocultação de cadáver.

O MPMS ( do Sul) denunciou Pablo Trindade por feminicídio qualificado por motivo fútil e meio cruel, com aumento de pena por ter sido na presença do filho do casal, de apenas 2 anos.

Juiz que atua na Comarca de Sonora, onde aconteceu o crime, ainda autorizou a quebra do sigilo telefônico e dados cadastrais de aparelho apreendido com o personal.

O corpo de Laís foi encontrado no dia 4 de agosto, enterrado em buraco aberto nos fundos da residência do casal, na Rua Dolores Terezinha Miranda, Bairro Flávio Derzi, na cidade distante 364 quilômetros de Campo Grande.

Para a polícia, Pablo matou a mulher asfixiada com um golpe mata-leão, depois de dar pancada na cabeça de mulher com objeto que a fez sangrar. Ele nega o crime. Ele passou por de custódia no dia 5 e teve a prisão em flagrante convertida em preventiva.

Segundo relatos do personal à polícia, sempre teve uma convivência conturbada com Laís, com quem vivia há 3 anos. Pablo diz que discutiu com Laís no dia 2 por causa de uma terceira pessoa que ele tentou inserir no relacionamento.

Ela não teria concordado e dito que se mataria se ele fizesse isso. Depois da briga, o marido afirma que saiu de casa e ao retornar, encontrou o corpo da mulher todo ensanguentado no quarto com uma concha de cozinha ao lado. Ele então resolveu cavar buraco para enterrá-la e contratou uma pessoa para fazer o trabalho, alegando que precisava instalar uma fossa em casa.

O personal tentou fazer a família e amigos de Laís acreditarem que ela havia ido embora da cidade e abandonado o filho. Postou no perfil da mulher no Instagram, mensagens de despedida e na terça-feira, dia 3, apareceu na casa dos sogros chorando, lamentando o “abandono” da mulher.

A família dela, contudo, registrou o desaparecimento e descoberta do aconteceu no dia seguinte, quando a polícia foi à casa do casal para investigar o sumiço.