Anúncios

Apesar de 10 capitais e 16 estados brasileiros terem anunciado na última semana a antecipação do calendário de vacinação contra -19, o Brasil ainda caminha a passos lentos para atingir a cobertura vacinal prevista de 90%.

Isso por que o país ainda precisaria aplicar 237 milhões de doses para completar a meta, o que exigiria 1 milhão de vacinados por dia, até o resto do ano, objetivo então prometido pelo Ministério da ainda em março. O Brasil, entretanto, vacinou 1 milhão em 24 horas apenas apenas 25 vezes. Para efeito comparativo, os Estados Unidos, atingiram a marca de 300 milhões de aplicações em 150 dias de governo Biden. 

As constatações e previsões brasileiras foram divulgadas em um estudo realizado pelos Lígia Bahia, Jéssica Pronestino de Lima Moreira e Guilherme Loureiro Werneck, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e Mário Scheffer, da Universidade de São Paulo, com base em informações publicadas pelo Ministério da Saúde. 

“Tal meta é factível (de vacinar 1 milhão de pessoas diariamente até o fim do ano), considerando o histórico de sucessos de campanhas de vacinação do SUS, mas não seria alcançada se mantidas as médias abaixo de 700 mil doses diárias que vêm sendo observadas”, relata o estudo, reforçando que as projeções de oferta de vacinas poderiam cobrir a demanda de vacinação, sobretudo a partir de agosto ou setembro. 

Se o país continuar na velocidade atual de vacinação, a meta seria atingida apenas em 2022. Ainda restam mais de 100 milhões de brasileiros acima de 18 anos a serem vacinados com a 1° dose, e outros 29 milhões de imunizados ainda não receberam 2°. Neste sábado, o Brasil registra 86.174.060 de doses aplicadas.