Anúncios

O ensino híbrido, com aulas remotas e presenciais, não será adotado em municípios com risco muito alto de contaminação da . A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc), que afirma que nessas cidades apenas as aulas acontecerão.

A decisão está na nota técnica conjunta elaborada pela Seduc e pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), que estabelece todas as diretrizes a serem seguidas, considerando a situação epidemiológica de cada município.

As unidades de ensino devem seguir as recomendações sanitárias vigentes no município onde estão localizadas para a volta das aulas no sistema híbrido.

Se houver medidas mais restritivas, com base em decretos, as aulas não devem ser retomadas na modalidade híbrida ou, se já retomadas, devem ser suspensas no caso de agravamento da situação epidemiológica.

Risco alto

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), até terça-feira (25), 18 municípios de Mato Grosso registram classificação de risco muito alto para o coronavírus.

São eles: Araguainha, Barra do Garças, Canarana, Cláudia, Confresa, Figueirópolis D’Oeste, , Juína, , , Novo São Joaquim, , Santo Afonso, , São José do Povo, São José do Xingu, da Serra e Torixoréu.

Outras 123 cidades estão classificadas na categoria alta para a contaminação do coronavírus. Nenhum município foi classificado com risco moderado ou baixo para a Covid-19.

Casos de Covid-19

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) notificou, até quinta-feira (27), 401.770 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 10.809 mortes em decorrência do coronavírus.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 452 internações em UTIs públicas e 371 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 84,80% para UTIs adulto e em 42% para enfermarias adulto.