Anúncios

Uma adolescente de 13 anos que mora em Luiziana, na região centro-oeste do Paraná, está grávida de trigêmeos, segundo o Conselho Tutelar. O Ministério Público do Paraná (MP-PR) investiga o caso. Autoridades de e de Direitos da Criança e do Adolescente no município estão acompanhando a família.

A família disse que a menina, que tem mais quatro irmãos, está grávida de um mês e meio e não revelou quem é o pai das crianças. A mãe da adolescente está desempregada.

De acordo com o Conselho Tutelar, a menor está passando por atendimento e apresenta boa saúde. Os familiares contaram ainda que ela está sendo acompanhada por um psicólogo.

Por meio de nota, o MP-PR esclareceu que o caso corre em segredo de justiça e, portanto, para preservar tanto a mãe-adolescente, quanto os nascituros, não é possível passar mais detalhes. Assim que soube do caso, a Promotoria da e Juventude adotou medidas para a proteção da adolescente.

O MP-PR informou que qualquer ato libidinoso (que inclui conjunção carnal) praticado contra menores de 14 anos é considerado estupro de vulnerável, mesmo tendo havido consentimento. A promotoria concluiu que está acompanhando os desdobramentos desta . O médico Mateus Saragioto, que é ginecologista e obstetra, detalha que uma gravidez de trigêmeos é uma gestação de risco e, para uma menina de 13 anos, pode ser ainda mais prejudicial .

“Um dos prejuízos que essa futura mãe pode ter é o desenvolvimento físico , neuropsicológico e, futuramente, pode refletir na educação dos três bebês. Essa uma gestação que tem fatores de risco como hipertensão gestacional, há risco de ruptura prematura de bolsa e parto prematuro. Ela vai precisar de uma rede de apoio especializada”, explicou.

Entre 1994 e 2019, o Brasil registrou 406 nascidos em gestações triplas ou mais de mães com menos de 14 anos, de acordo com dados do .

Em 2019, último ano disponível no levantamento, seis crianças nasceram de mães menores de 14 anos em gestações triplas ou mais, segundo o levantamento.