Anúncios

Felipe Silva do Rosário, de 13 anos, morreu no sábado (22/5), após ser atacado por abelhas e sofrer uma queda que ocasionou um traumatismo craniano. Ele estava no sítio da avó, na Área Continental de , no litoral de .

No dia do ataque, aconteceu em Santos uma forte ventania derivada de um ciclone extratropical. O menino disse à avó que iria verificar se estava tudo bem com o galinheiro da família, devido às fortes rajadas de vento. No caminho até o local, ele se escondeu debaixo de uma árvore, quando uma colmeia de abelhas caiu sobre a sua cabeça.

Quem relatou o que houve foi o irmão dele, de 7 anos, que o acompanhou e viu o momento em que tudo aconteceu. De acordo com ele, Felipe tentou correr enquanto as abelhas o atacavam, mas ele caiu e bateu a cabeça em uma madeira. A tentou ajudá-lo, mas também foi alvo das abelhas. Com isso, ele fugiu e pediu ajuda à avó.

Ao G1, o irmão mais velho do adolescente, André Rosário, relatou que a avó insistiu para que Felipe não saísse de casa.

“Quando começou a ventania, ela sentiu algo e ficou com medo. Disse para eles [Felipe e o irmão mais novo, de 7 anos] não saírem de casa. Mas ele disse: ‘Vó, só vou no galinheiro para ver se está tudo bem com as galinhas’”, conta André.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas devido à grande distância do local do ataque, a ambulância levou 20 minutos para chegar. O garoto ainda estava vivo, embora inconsciente. Ele foi levado ao Hospital Municipal de Cubatão, mas não resistiu ao traumatismo craniano. O velório e enterro de Felipe foi no domingo (23/5).