Anúncios

O Canadá notificou, nessa terça-feira (27/4), a primeira morte provocada por uma doença rara de coágulo sanguíneo em uma pessoa que havia recebido a da AstraZeneca contra a .

A vítima é uma mulher de 54 anos, moradora da província de Quebec, onde cerca de 400 mil pessoas já foram vacinadas com ao imunizante, segundo o local.

A Agência de Saúde Pública do Canadá informou que está reunindo informações adicionais sobre o caso. O órgão destacou que, apesar da fatalidade, os relatos de coágulos sanguíneos com plaquetas baixas em pessoas vacinadas são “graves e muito raros”. Apenas cinco casos foram registrados em todo o país até então.

Mesmo com as ocorrências, as autoridades de saúde pública reafirmam que os da vacinação contra a Covid-19 superam os riscos potenciais.

François Legault, primeiro-ministro de Quebec lamentou o caso. “É um risco calculado, mas, evidentemente, quando pensamos nesta mulher, sua família, seus entes próximos, é difícil”, disse.

A complicação, chamada de trombocitopenia imune protrombótica induzida por vacina (VIPIT), é caracterizada pela de coágulos sanguíneos acompanhados por uma contagem baixa de plaquetas.

Em um comunicado, a AstraZeneca informou que está ciente da investigação e que “não é apropriado comentarmos mais sobre casos individuais específicos”.