Anúncios

O enfermeiro André Sabino, 48, morreu na segunda-feira (8), em decorrência das complicações da . Ele foi um dos responsáveis pela implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá), cidade onde morava e faleceu após 28 dias de internação.

Servidor concursado da , André trabalhou mais de 10 anos no Samu e atualmente estava na linha de frente do combate à covid-19, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município.

Pai de dois filhos, o servidor apresentou os primeiros sintomas da doença em 6 de fevereiro. Quatro dias depois, precisou ser internado na unidade de terapia intensiva (UTI) na , onde ficou até falecer.

A morte precoce do enfermeiro foi lamentada por familiares e amigos nas redes sociais. O prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio (SD), também expressou pesar pela perda, assim como a Associação de Especialistas e Outros Profissionais de Rondonópolis.

“Mais um profissional de que perde a vida para a covid-19. Nosso amigo enfermeiro André Sabino. Descanse em paz André, minha eterna gratidão pela amizade e aprendizado”, postou Vanda Freitas.

Já a colega Clelauyne Brandão criticou a postura das pessoas que não seguem as medidas de biossegurança. “O Face me pergunta o que estou pensando, eu respondo: na irresponsabilidade do ser humano, onde a maioria segue a vida normal, enquanto outros morrem por um vírus que pode ser amenizado pelo e higienização. Enquanto muitos levam vida normal, nós, profissionais de saúde, estamos exaustos, esgotados física e emocionalmente. Vão esperar todos da saúde cair para entender a situação? Quem irá cuidar de vocês?”.