Anúncios

Um Polícial Militar de Confresa (1.160 km ao Noroeste de Cuiabá) foi preso após ser flagrado informando traficantes do Comando Vermelho, em tempo real, sobre uma operação que acontecia na cidade para reprimir o de drogas. Vanderlei Moreira Xavier, 34 anos, estava de plantão e atuando na ação.

O flagrante foi feito durante a prisão de um dos traficantes, confirmou o comandante da PM local, o tenente coronel Roosevelth Fabiano Oliveira Escolástico. Desde a última sexta-feira (12), os policiais realizavam ações para reprimir o tráfico de drogas na cidade.

Durante a abordagem de um dos suspeitos, ele jogou um celular no solo. Disse ainda que não era seu. Mas, o aparelho estava desbloqueado e quando os militares foram checar, flagraram uma conversa do suspeito com o policial militar, que integrava outra equipe da mesma operação.

Em entrevista à rádio Top FM, da região do Araguaia e Xingu, o comandante afirmou que a conversa estava ocorrendo em ‘tempo real’. “Ele estava relatando ao suspeito passo a passo do que estava sendo feito pelos policiais, os locais onde eles estavam”, ressaltou.

Para o comandante, o crime é ‘gravíssimo’ e ele nunca tinha se deparado com uma situação dessas. Diante dos fatos, foi comunicado à Polícia Civil, que realizou a prisão de Vanderlei em casa por crime militar.

Durante a diligência no local, Força Tática encontrou um revólver calibre 38 dentro do carro do suspeito e em cima do sofá, uma sacola com munição do mesmo calibre. Questionado, disse que a arma não tinha registro. Ele foi autuado pela Polícia Civil por posse irregular de arma de fogo.

Transferido

Conforme o TC Escolástico, soldado Xavier estava há pouco tempo lotado no batalhão de Confresa. “Ele é um recruta da última turma de formação da PM. Pediu transferência para Confresa alegando que tinha família no Pará e aqui ficaria mais próximo deles”.

De fato, o soldado é natural de Rio Maria, no Pará, que fica cerca de 8h de carro saindo de Confresa. “Foi feita uma investigação antes de a transferência ser confirmada e não tinha nada contra ele até o momento, sendo autorizada a vinda. Mas, agora o caso vai ser investigado”, disse.

Xavier está preso na cidade, mas ao que tudo indica, deve ser transferido para um presídio. O receio é de que os membros do Comando Vermelho, qual ele estava praticamente associado, possam atentar contra a vida dele e até mesmo dos policiais que realizaram sua prisão.

“Agora ele vai responder tanto pelo crime militar, quanto pelo crime de posse ilegal de arma de fogo. A Polícia Militar não compactua com esse tipo de atitude”, finalizou.