Anúncios

Uma briga entre irmãos, por causa da posse de uma máquina de lavar roupas, de outros eletrodomésticos e de roupas, causou a morte de uma mulher de 47 anos, em Aparecida de Goiânia (GO), na região metropolitana de Goiânia. Lúcia Oliveira de Sá foi morta a facadas, durante discussão com o irmão mais velho, de 55 anos. Ele ainda feriu outra irmã. Na tentativa de fuga, por pouco foi linchado.

O crime ocorreu na manhã de sábado (27/3), no Jardim Luz. Testemunhas disseram à Polícia Militar de Goiás (PMGO) que o motivo da briga seria a posse de eletrodomésticos e roupas. A mulher foi atingida por facadas no tórax e no abdômen, e o corpo apresentava lesões de defesa nas mãos e nos braços.

A ocorrência revoltou familiares e moradores da região, que se aglomeraram no entorno da casa. O irmão tentou fugir, foi agredido e sofreu uma tentativa de linchamento. Ele levou golpes na cabeça e pedradas, mas foi socorrido pela PM e levado para o hospital. Ele foi autuado em flagrante e está preso.

Segundo o delegado do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia, Rogério Bicalho, Lúcia e o irmão moravam no mesmo lote, mas em casas separadas, e alternavam os cuidados da mãe adoentada.

A discussão entre os dois, por motivo fútil, começou e as agressões vieram a seguir. A mulher teria tentado se defender e chegou a pegar uma faca para revidar os golpes do irmão, mas não conseguiu. Outra irmã tentou, ainda, separar a briga e sofreu um ferimento na mão, mas já era tarde. Lúcia morreu dentro de casa.

Motivo

Bicalho diz que a motivação ainda precisa ser apurada ao longo da investigação. O autor do crime foi ouvido durante a lavratura do flagrante, mas estava meio inconsciente, em razão dos ferimentos.

“Ele não foi interrogado, ainda, porque não tinha condições. Ele foi agredido na cabeça. Levou pedrada, paulada. Foi ouvido no flagrante só. Terei que ouvi-lo ainda”, diz o delegado.

Uma imagem de dentro da casa, registrada instantes depois da briga, mostra eletrodomésticos revirados e utensílios de cozinha revirados, o que indica que houve luta corporal entre os dois.

O corpo foi levado para o Instituto Legal (IML), onde seria submetido a perícia. O delegado diz que ainda não teve acesso aos laudos e que por isso não sabe a quantidade de facadas que a vítima levou do irmão.

A de custódia, realizada nesta segunda, manteve a prisão do suspeito.