Anúncios

O Ministério da Saúde decidiu comprar “todas as vacinas disponíveis” dos laboratórios Pfizer/BioNTech e Janssen-Cilag, braço farmacêutico do grupo Johnson & Johnson, informou a pasta à CNN nesta quarta-feira (3). 

O governo informa que a ordem para dar prosseguimento para a compra foi feita pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O Ministério da Saúde não informa quantidade exata de doses, afirmando que isto dependerá dos estoques disponíveis.

“Número de doses vai depender de quanto as farmacêuticas poderão disponibilizar. Mas intenção é comprar todas as doses disponíveis”, afirmou fonte próxima ao ministro à CNN. 

A vacina da Pfizer com a BioNTech é a única até o momento a ser aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para registro definitivo no país. As vacinas Coronavac e Oxford/AstraZeneca possuem a autorização de uso emergencial, que é temporária e restrita a grupos prioritários.

A negociação da farmacêutica americana com o Brasil começou no segundo semestre do ano passado, mas travou depois de o governo se recusar a concordar com uma cláusula do contrato, que dispensaria a Pfizer de arcar com o custo decorrente de eventuais efeitos colaterais.

Na terça-feira (2), a Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que, entrando em vigor, permite que a União, estados e municípios possam assumir essa responsabilidade sem que os gestores sejam pessoalmente responsabilizados por ocorridos.

A movimentação do Ministério da Saúde acontece um dia depois de o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciar que compraria 20 milhões de doses da vacina da Pfizer e outras 20 milhões de doses da Sputnik V.