Anúncios

Os casos de em Mato Grosso aumentaram 59% em 2020, em relação a 2019. Foram registrados 62 crimes de homicídios com esta qualificadora entre janeiro e dezembro do ano passado, contra 39 no mesmo período do ano anterior. Já em 2018 houve 42 casos. Os dados são da Superintendência do Observatório de Segurança da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

No total, foram registrados 104 homicídios de mulheres em 2020 (62 e 42 sem essa qualificação). O número corresponde a um aumento de 19% em relação a 2019, quando foram regitrados 87 homicídios (39 feminicídios e 48 não qualificados dessa forma).

A maioria dos casos totais de homicídios, incluindo feminicídios, registrados em 2020 foram consumados com uso de arma cortante ou perfurante (36%), seguidos de arma de fogo (28%), outros (20%), e força muscula e arma contundente, ambos com 8%.

A Sesp-MT também fechou os dados das principais ocorrências criminais envolvendo mulheres de 18 a 59 anos de idade. No estado, os crimes de ameaça, lesão corporal e injúria continuam liderando os registros, mas também apresentaram reduções.

Em 2020 foram identificados 18.076 crimes de ameaças, contra 20.600 no ano passado (-12%); enquanto houve 9.649 e 10.334 registros de lesão corporal, respectivamente (-7%); e 5.161 ocorrências de injúria em 2020 e 6.153 em 2019 (-16%). Alguns crimes tiveram aumento, como estupro, com 6% (442 casos no ano passado e 418 no ano retrasado); violação de domicílio (5%) e importunação sexual, que passou de 176 para 220 casos.

Região metropolitana

Já em , os crimes de ameaça reduziram 13%, injúria 12% e lesão corporal 6%. O crime de importunação sexual foi responsável por 51 casos em 2020, contra 52 em 2019, enquanto assédio sexual passou de 54 para 34 casos (-37%). Apresentou aumento de 11% o crime de estupro, com 84 casos no ano passado e 76 no ano anterior.

Com relação a , as reduções chegam a 15% nos crimes de ameaça; 2% em lesão corporal e 30% nos casos de injúria. O crime de estupro também reduziu 5% (37 casos em 2020 contra 35 em 2019). Houve aumento de 14% nas ocorrências de importunação sexual, sendo que foram registrados 16 casos no ano passado e 14 no ano anterior.

Canais de ajuda

O número de emergência em situações graves e que exigem socorro imediato é sempre o 190. Para registrar qualquer denúncia, basta ligar para 197, 180 e 181. Vale lembrar que todas as denúncias são sigilosas. Além disso, as denúncias também podem ser registradas presencialmente nas delegacias (PJC-MT) de Mato Grosso, ou qualquer delegacia do município em que a vítima reside.

Em Cuiabá, entrou em funcionamento este ano o Plantão de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica e Sexual, na Av. Dante Martins de Oliveira s/n, bairro Planalto, anexo ao prédio da 2ª Delegacia da Capital.

Também na Capital, a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) funciona na Rua Joaquim Murtinho, nº 789, Centro-Sul. Já em Várzea Grande, a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, da Criança e do Idoso funciona na Rua Almirante Barroso, 298, Centro Sul (próximo do Terminal André Maggi).

Algumas Delegacias Especializadas de Defesa da Mulher criaram, em função da pandemia que aumentou o isolamento social, canais para denúncias e atendimento psicológico pelo serviço de . Em Cuiabá, o número (65) 99966-0611 está disponível para as vítimas. Em Várzea Grande, a Delegacia criou o número (65) 98408-7445 para receber denúncias via WhatsApp.

Já a unidade especializada de Rondonópolis (215 km ao Sul de Cuiabá) tem o número (66) 99937-5462 para atendimentos. Além do telefone celular, a delegacia possui ainda um número fixo pelo qual as vítimas podem acionar o atendimento policial: (66) 3423-1754.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.