Anúncios

Jennifer Natalia Pedro, acusada pela morte da filha , foi encontrada morta em sua cela na penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, de Tremembé (SP), nesta segunda-feira (22).

A mulher foi achada pelos agentes penitenciários da P1 de Tremembé com um lençol no pescoço.

Segundo relatou ao R7 o advogado da mulher, William César Pinto de Oliveira, a causa da morte ainda não foi identificada, e dependerá de um exame necroscópico realizado hoje pela manhã, além de outras perícias e investigações. 

Um inquérito policial e um procedimento administrativo interno deverão ser instaurados para apurar os fatos.

A reportagem solicitou uma nota à SAP-SP (Secretaria da Administração Penitenciária de ) a respeito do caso. Até o momento, não houve resposta.

O caso

Em março do ano passado, Ísis Helena, de 1 ano e 10 meses, teve o corpo descartado nas proximidades de um rio em Itapira, no interior de São Paulo, onde morava com a mãe, acusada pela morte da filha. Jennifer foi presa em abril, quando contou à polícia onde estava enterrado o corpo de Ísis. Ela confessou que a havia sofrido uma convulsão e se asfixiou com o próprio leite.

Segundo a SSP-SP (Secretaria da Pública de São Paulo), a mãe mudou a versão apresentada aos policiais, e passou a sustentar que a filha teve febre, por volta da meia-noite, e recebeu o medicamento ibuprofeno.

Em seguida, Jennifer teria dado mamadeira com leite para a bebê e dormiu por volta das 4h. Às 6h15, ela teria acordado e encontrado a menina já “fria”, com “espuma e leite nos cantos da boca”.

Ainda de acordo com a versão, a menina teria sofrido convulsões e morrido por asfixia. Então, Jennifer teria se desesperado e decidido levar o corpo da menina para o rio. Em seguida, a mulher disse ter consumido drogas no mesmo local onde relatou ter abandonado a filha.

Saiba mais sobre a prisão de Jennifer