Anúncios

Após repercussão negativa, o empresário do Elusmar Maggi Scheffer afirmou ter desistido de “injetar” no São Paulo como forma de motivar o time a vencer o jogo contra o Flamengo nesta quinta-feira (25) no Morumbi.

A decisão de incentivar o tricolor paulista gerou revolta no time do , que ameçou denunciá-lo às autoridades por manipulação de resultado.

Uma vitória do São Paulo beneficiaria o Internacional, equipe para a qual torce Elusmar. O rubro-negro carioca e o colorado gaúcho chegaram na última rodada disputando o título de campeão brasileiro.

Em nota, Elusmar afirma que ficou impactado com a partida entre os dois times no último domingo (21) no Maracanhã, quando o Flamengo bateu o Inter por 2 a 1 e assumiu a liderança do campeonato faltando apenas uma partida para seu término.

“O amor pelo clube me moveu a fazer uma doação espontânea com intuito de ajudar, de fazer a minha parte na busca pelo título. Depois de tudo que aconteceu, com o lamentável erro do árbitro e do VAR [ábrito de vídeo], e a derrota que deixa o título mais difícil agora, me manifestei sem pensar”, afirmou o empresário, que é um dos sócios do .

“Envolto em emoção, afirmei que poderia participar da última rodada com aporte financeiro ao São Paulo, algo que considero equivocado. Sei que não é ético, aceitável, nem necessário este tipo de coisa, já que o São Paulo, como grande clube que é, não precisaria de qualquer incentivo para tentar a vitória. Peço desculpas pelas palavras ditas “no calor do momento” e reitero que jamais falei em nome do Inter”, disse.

Elusmar ainda garantiu não fará qualquer movimento nesta última rodada. “Deixando o protagonismo todo para quem sempre deve tê-lo: os jogadores”.

R$ 1 milhão

Elusmar ganhou notoriedade nacional ao doar R$ 1 milhão para o Internacional pagar a multa para ter o lateral Rodinei em campo contra o Flamengo no último domingo. Com o pagamento, o jogador acabou atuando, mas foi expulso aos 4 minutos do segundo tempo, em lance revisado pelo VAR.

Depois da partida, Elusmar afirmou que iria injetar dinheiro no São Paulo. A declaração revoltou o Flamengo.

O vice- jurídico do clube carioca Rodrigo Dunshee de Abranches prometeu protocolar uma queixa-crime contra Elusmar na Polícia e no .

“Manipulação de resultado sob qualquer forma é crime previsto no Estatuto do Torcedor, ainda mais quando são jogos da Loteria Federal. Hoje mesmo vamos encaminhar notícia crime ao MP e à polícia. Esse torcedor pode ser rico, mas vê-se que não é preparado”, afirmou Abranches em sua conta no Twitter.