O exame de DNA feito no material biológico encontrado na cueca usada pelo dançarino Maylon Douglas Pinto de Nascimento Adão, o MC Maylon, de 21 anos, é do cantor do Grupo Molejo, Anderson Leonardo. A confirmação foi feita pela Polícia Civil do Rio, que investiga a acusação feita pelo funkeiro, de que teria sido estuprado, em dezembro, pelo pagodeiro.

De acordo com o titular da 33ª DP (Realengo), delegado Reginaldo Guilherme, a confirmação não muda o rumo das investigações, uma vez que a relação sexual já foi admitida pelos dois envolvidos.

Anderson, no entanto, nega que tenha havido estupro e garante que tudo o que aconteceu no motel para onde foram, em Sulacap, na Zona Oeste, foi de forma consensual.

Nesta terça-feira (9/2), os funcionários do motel serão ouvidos pelos investigadores, na tentativa de estabelecer se houve ou não abuso por parte de Anderson Leonardo. Uma acareação entre os dois envolvidos também deverá ser realizada, ainda esta semana, pela polícia.

Pensamentos suicidas

Anderson afirma também que foi chantageado pela mãe do MC, para que o caso não fosse revelado. Em depoimento à polícia, o pagodeiro afirmou ainda que teria dado conselhos para o dançarino “parar com pensamentos suicidas”.

No depoimento, o pagodeiro contou ao delegado Reginaldo Guilherme, titular da 33ª DP (Realengo), que combinou, “com aproximadamente 24 horas de antecedência”, o encontro com Maylon no motel. No sábado (6/2), Anderson concedeu uma entrevista, para um amigo jornalista, contando na live sobre toda a relação com o funkeiro e deu detalhes sobre o que teria acontecido na noite do dia 11 de dezembro.

A polícia espera, para o início desta semana, receber as imagens do circuito interno do motel onde Anderson Leonardo e MC Maylon estiveram. O gerente e um funcionário do estabelecimento em Sulacap vão prestar depoimento na tarde desta terça.