Anúncios

A Equipe da Coordenadoria de Fiscalização de Flora (CFFL), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (-MT), intensificou a fiscalização no perímetro urbano do rio Cuiabá, na capital, para reprimir a pesca depredatória.

O patrulhamento fluvial é realizado diariamente, com atenção especial para as pontes entre Cuiabá e Várzea Grande. Umas das regiões do perímetro urbano que tem recebido os fiscais diariamente é no Praeirinho. Os fiscais, além de possiíveis abordagens, retiram constantemente apetrechos de pesca predatória do rio e buscando coibir toda prática ilegal.

As redes e cevas fixas são práticas inapropriadas de pesca, que infratores utilizam para capturar os peixes. Estas modalidades são proibida não somente no período em que estamos, a Piracema, mas durante todo o ano conforme a Lei da Pesca (Lei 11.959/2009).

Conforme definição do Conselho Estadual de Pesca (Cepesca), o período de piracema se encerra em 31 de janeiro de 2021.

Resultado parcial da piracema

Com base no último levantamento realizado da piracema 2020/21, a equipe já apreendeu; 567,9 quilos de pescado ilegal; 125 redes; 29 tarrafaras; 14 armas; 557 cevas fixas, 737 apetrechos de pesca predatória e 49 embarcações.

Além dos itens apreendidos, 17 pessoas foram conduzidas para a delegacia e os fiscais aplicaram R$ 183,8 mil em multas.

Foram emitidos no total 17 autos de infração; 193 Auto de inspeção; 83 autos de apreensão e 32 boletins de ocorrência.