Anúncios

A Coordenadoria de Defesa do Consumidor (Procon) de Rondonópolis realizou um levantamento dos preços das e encontrou itens com aumento de até 15%. A foi feita entre os meses de maio a dezembro de 2020, período em que o município e todo o Brasil já enfrentava a do novo coronavírus. Os itens da cesta básica foram analisados separadamente como de primeira e de segunda linha.

Os do setor de fiscalização do coletaram os preços dos principais itens que compõem a cesta básica todos os meses, acompanhando a variação dos números, principalmente por conta da crise econômica que acompanhou a pandemia. Os preços foram repassados pelos quatro maiores supermercados da cidade.

De acordo com a pesquisa, o óleo de soja foi o campeão de aumento com a variação do maior preço identificado alcançando a casa dos 90%. A unidade do produto de 900 ml chegou a custar R$ 7,98. A carne de primeira segue a lista dos itens com maior variação, sendo que alguns cortes tiveram aumento considerável registrado em 75%.

Ainda sobre produtos alimentícios, os produtos de laticínio também sofreram reajustes consideráveis variando entre 20 e 47%. Esse setor tem uma peculiaridade por ter os preços alterados de acordo com a mudança do clima que afeta diretamente na produção.

Dos itens que tiveram registro de queda na variação dos preços, o alho que chegou a custar cerca de R$ 40 em alguns estabelecimentos hoje pode ser encontrado por R$ 16, uma variação de queda de 40%. A cebola teve registros de preço de R$ 7 o quilo e nos últimos levantamentos variou de R$ 4,80 a R$ 2,79, uma queda de cerca de 50%.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.