Anúncios

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta segunda-feira (14.12), 167.711 casos confirmados da Covid-19 em , sendo registrados 4.272 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 737 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 167.711 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 3.509 estão em isolamento domiciliar e 159.353 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 159 internações em UTIs públicas e 151 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 39,45% para UTIs adulto e em 17% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (37.659), Rondonópolis (12.335), Várzea Grande (11.824), Sinop (8.968), Sorriso (7.348), Lucas do Rio Verde (6.801), Tangará da Serra (6.604), Primavera do Leste (5.463), Cáceres (3.682) e Nova Mutum (3.545).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 132.318 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 512 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

No último domingo (13.12), o Governo Federal confirmou o total de 6.901.952 casos da Covid-19 no Brasil e 181.402 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 6.880.127 casos da Covid-19 no Brasil e 181.123 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de segunda-feira (14.12).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.