Anúncios

O governador Mauro Mendes, que está em São Paulo nesta sexta-feira (11.12) para participar do 19º Fórum Empresarial do Grupo de Líderes Empresariais (LIDE), conclamou os gestores públicos para que fomentem investimentos voltados à geração de empregos no País. Em sua apresentação, ele falou do panorama do Estado para o próximo ano: 13% da receita corrente líquida será utilizada em investimentos em todas as áreas e regiões, algo inédito na história de .

Ao lado de governadores de outros Estados e de diversas lideranças políticas e empresariais do País, Mauro Mendes destacou ainda as ações adotadas pelo Governo de Mato Grosso desde o início de sua gestão, que permitiram o reequilíbrio das contas do Estado e provocaram o primeiro superávit financeiro em 10 anos, mesmo durante a pandemia, permitindo o montante em investimentos.

“É muito comum a gente ouvir dizer que ‘dinheiro público tem’. Não existe dinheiro público, existe dinheiro do cidadão e das empresas. E se nós temos um Estado que abocanha parte desse dinheiro do cidadão e das empresas e gasta mal, nós vamos ter dificuldade de projetar o futuro e promover o crescimento desse País. Por isso que eu conclamo a todos, para que possamos atentar para que o Brasil seja esse País do futuro e para que esse caminho seja trilhado com segurança e com mais firmeza, com resultados não apenas para as gerações futuras, porque queremos ver isso também no presente”, frisou. 

Em sua fala, Mauro Mendes exibiu um quadro dos resultados obtidos em Mato Grosso a partir das políticas públicas implantadas por sua equipe já no primeiro ano de gestão, entre elas a reforma administrativa, o corte de gastos, a renegociação de dívidas, a aprovação do Novo Fethab, o combate à sonegação fiscal, a criação da Lei de Responsabilidade Fiscal Estadual e a revisão dos incentivos fiscais. Além disso, apresentou o programa Mais MT, que prevê recursos na ordem de R$ 9,5 bilhões em investimentos públicos em todas as áreas até 2022.

Além dos investimentos para geração de emprego e renda, o governador defendeu a necessidade das reformas administrativa e política pelo Governo Federal.

“O Estado brasileiro precisa investir, precisa cumprir seu papel, gerar empregos, precisa recuperar. E aí eu discordo quando muitos nesse País dizem que a principal reforma é a Tributária. Ela é importante sim, porque pagamos muitos impostos, mas não vamos ter nenhuma Reforma Tributária capaz de alcançar seu objetivo de livrar o cidadão e a iniciativa privada dessa carga, se antes nós não formos capazes de fazer um a reforma no Estado brasileiro. Nós temos que fazer a reforma administrativa, temos que fazer a reforma política, temos que tornar os estados e o poder público nesse País mais leve e menos custoso para o cidadão”, destacou o governador. 

“O problema não é a distância que nós estamos dos chamados países de primeiro mundo, é a velocidade que eles se movem e que o Brasil se move rumo a esse futuro. Se não formos capazes de mudar o Estado brasileiro, seu custo e sua eficiência, não haverá reforma tributária capaz de tirar o peso dos nossos ombros dos enormes impostos que nós pagamos”, acrescentou.

LIDE

Fundado no Brasil em 2003, o LIDE – Grupo de Líderes Empresariais é uma organização que reúne executivos dos mais variados setores de atuação em busca de fortalecer a livre iniciativa do desenvolvimento econômico e social, assim como a defesa dos princípios éticos de governança corporativa nas esferas pública e privada.

Presente em diversos países com 23 frentes de atuação, o grupo conta com 33 unidades regionais e internacionais com o propósito de potencializar a atuação do empresariado na construção de uma sociedade ética, desenvolvida e competitiva globalmente.