Anúncios

Alto Paraguai, cidade de 11.473 habitantes a 200 km de Cuiabá, comemora 67 anos nesta quarta-feira (16.12). O município que é um dos expoentes da piscicultura mato-grossense recebe ações do Governo do Estado em , parcerias na área de saúde e repasses financeiros em dia.

Estão sendo restaurados e revitalizados, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), 64,3 quilômetros da , entre Diamantino e Arenápolis, passando por Alto Paraguai. Os investimentos são superiores a R$ 18 milhões.

Restauração e revitalização da MT 240 entre , Arenápolis, Alto Paraguai e Diamantino – Marcos Vergueiro 

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) enviou ao município 975 testes rápidos para detecção do coronavírus e medicamentos para combatê-lo, num total de 41.833 comprimidos, entre azitromicina (5.110), ivermectina (4.088) e dipirona (32.635), também distribuído em gotas, com 795 frascos.                     

Entre janeiro e setembro deste ano, o Governo do Estado repassou R$ 4,33 milhões aos cofres municipais em ICMS, IPVA e Fethab, além de R$ 1,68 milhão em assistência social, transporte escolar e convênios na área de saúde entre 2019 e julho de 2020.

Economia

Um dos primeiros do ranking estadual e nacional em piscicultura, Alto Paraguai produziu em 2019, segundo levantamento do , 2,56 mil toneladas de peixes, de um total de 33,57 mil produzidas em todo o Estado.

É o segundo em produção de alevinos (quase 10% das 53,8 milhões de unidades produzidas em ), segundo em produção de pintado e em tambaqui, terceiro na produção de tambacu e tambatinga (quarto no ranking nacional) e primeiro em lambari.

Alto Paraguai é um dos municípios expoentes da piscicultura mato-grossense. Foto Empaer/MT

Possui um rebanho bovino com 79,59 mil cabeças, das 1,666 mil vacas ordenhadas, com 2,32 milhões de litros de leite. O rebanho galináceo é formado por 26,6 mil cabeças, das quais 8,15 mil galinhas; além de suíno, com 3,27 mil cabeças e 805 matrizes.

Milho, com 24 mil toneladas, e soja, com 21 mil, lideram a produção agrícola. O município produz ainda borracha, mandioca, abacaxi e coco-da-baía, além de madeira e lenha. Possui 90 hectares plantados com eucalipto.

Administração pública (R$ 57,23 milhões), serviços (R$ 27,05 milhões) e agropecuária (R$ 21,06 milhões) são os principais componentes do Produto Interno Bruto (PIB) municipal avaliado em R$ 115,5 milhões em 2017. O PIB per capita é de R$ 10.577,65.

História

A história de Alto Paraguai está ligada ao garimpo de ouro e pedras preciosas desde 1728. Com fim do ciclo do ouro e do diamante no século XIX, restaram sítios e fazendas. Um novo ciclo garimpeiro se iniciou no final da década de 1930. Em torno das fazendas, vários garimpos surgiram.

Os mais conhecidos foram Gatinho, Come Feito, Espinhal, Várzea Bonita, Afonsinho e São Pedro.

Desde o início deste século, o município tem se dedicado à piscicultura e outras atividades econômicas.

Distrito criado já com o nome Alto Paraguai, pela lei estadual 193, de novembro de 1948, subordinado ao município de Diamantino. Foi elevado a município pela lei estadual 709, de 16 de dezembro de 1953, desmembrado de Diamantino.