Anúncios

Ferramentas, latas, galões, garrafas pet, sacolas plásticas e pneus fazem parte da lista de materiais constantemente descartados na , em Mato Grosso, prática considerada infração pelo Código de Brasileiro (CTB) e que coloca em risco a segurança viária. Os registros da Concessionária Rota do Oeste apontam que, de 1º de janeiro a 31 de outubro de 2020, foram retirados da pista e faixa de domínio 12.623 objetos, uma média de 41 recolhimentos por dia.

A remoção de objetos da pista faz parte das atribuições das equipes operacionais e representa 15% das atividades desempenhadas pelos operadores de tráfego das 18 bases de atendimento ao usuário existentes ao longo dos 850,9 quilômetros sob concessão da BR-163. O gerente de Operações da Rota do Oeste, Wilson Ferreira, explica que existem situações distintas que resultam neste cenário: o desleixo e a falta de educação ao descartar objetos pela janela do veículo; o esquecimento ou a queda de algum material na rodovia; e o desprendimento de peças e acessórios de veículos durante a viagem.

Todas as situações são preocupantes porque objetos na pista podem resultar em acidentes. Por isso, as equipes operacionais removem imediatamente tudo o que encontram na BR-163. Ainda assim, o gerente de Operações frisa que embora a Rota do Oeste trabalhe no recolhimento do que cai na pista, não há como evitar que algo se solte de um veículo e atinja outro.

“Entendemos como mais graves, do ponto da segurança viária, os casos em que os objetos são arremessados em outros veículos, por querer ou mesmo quando se soltam. Já tivemos situações de peças que se desprenderam e atingiram o automóvel que vinha atrás, barras de ferros que caíram de caminhões e atravessaram para-brisa de veículos, entre outros casos que colocaram em risco a segurança de quem viaja”, comenta Ferreira.

Para evitar que isso ocorra, a recomendação é que mantenham a revisão dos veículos em dia, de forma que haja condição de trafegar com segurança. Além disso, principalmente com relação aos veículos de carga, uma atenção extra ao acondicionar os objetos no veículo. O motorista deve verificar se as ferramentas, peças e objetos estão devidamente acondicionadas, presas, sem risco de se soltarem durante a viagem.

Fique atento – Como forma de reforçar a segurança, o motorista deve sempre manter uma distância segura dos veículos, principalmente se for de carga; avaliar as condições do veículo e o acondicionamento da carga que está à frente. Ao identificar ou desconfiar que o veículo à frente apresenta algum tipo de problema (danos, peças soltas ou carga mal acondicionada), o condutor deve aumentar a distância.

A Rota do Oeste recomenda ainda, que aos usuários da BR-163 entrem em contato com a Concessionária – por meio do 0800 065 0163, nas praças de pedágio ou bases de atendimento ao usuário –  ou com a Polícia Rodoviária Federal () para que ocorra a abordagem e orientação do condutor do veículo com suspeita de problemas.

Infração de trânsito – De acordo com o artigo 172 do CTB, atirar do veículo ou abandonar na via objetos ou substâncias é considerado Infração média com penalidade de multa no valor de R$ 130,16 e quatro pontos na ().

Armazenamento – Todo material recolhido é avaliado e classificado. O que é considerado lixo vai para descarte adequado, de acordo com a sua origem. Já os objetos que podem ter sido perdidos ou esquecidos na rodovia são armazenados e catalogados pela Ouvidoria da Rota do Oeste, setor responsável por fazer busca, quando possível, do proprietário.

O usuário da BR-163 que acredita ter perdido algo na rodovia também pode entrar em contato com o 0800 065 0163, da Rota do Oeste, para verificar se o objeto foi encontrado.