Anúncios

Quatro toneladas de drogas foram incineradas pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Judiciária Civil, na manhã desta quinta-feira (05.11) em Cuiabá. A destruição da , dividida em maconha, , anabolizantes e drogas sintéticas, ocorreu na fornalha de uma fábrica de estocagem de grãos, na , no bairro Distrito Industrial.

Conforme o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, as quatro toneladas de entorpecente foram apreendidas ao longo do ano, principalmente em operações policiais realizadas pela especializada.

Vitor Hugo explica que a metodologia de trabalho da DRE é dividida em duas vertentes de combate ao tráfico de drogas. Uma com foco no enfrentamento ao tráfico interestadual que envolve grandes carregamentos de drogas vindo do Estado de (MS) e da fronteira com a .

O segundo foco visa o combate ao “tráfico formiguinha” que abastece as bocas de fumo enraizadas nos bairros da baixada cuiabana e , o qual também fomenta outros tipos de delitos como roubo, homicídio, e latrocínio, e traz a sensação de insegurança as comunidades.

Além do trabalho investigativo das equipes policiais, algumas apreensões são resultados de denúncias anônimas feitas pela sociedade, uma vez que toda informação que chega a DRE é devidamente checada pelas equipes de investigadores da unidade.

O delegado destacou ainda que o recorde na apreensão de drogas em Mato Grosso ocorreu em razão de realização de trabalhos integrados entre as forças de segurança pública e o fortalecimento da inteligência policial.

“Os trabalhos das equipes de inteligência avançaram bastante e a integração entre as instituições foram fundamentais para o aumento da produtividade, demonstrada através da maior incineração da história. Hoje é o momento de encerrar um ciclo que inclui a investigações, apreensões, prisões e agora a destruição do entorpecente”, destacou.

No montante de drogas incineradas também há apreensões de outras unidades da e as realizadas pela Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar que são entregues nas duas Centrais de Flagrantes, de Cuiabá e Várzea Grande.

O diretor de Atividades Especiais da Polícia Civil, Fernando Vasco Spinelli Pigozzi, atribui o volume de apreensão ao empenho das equipes da DRE, atuando no combate ao tráfico doméstico e em todo o estado, e também apoio ao trabalho de delegacias no interior. “Grandes apreensões foram feitas pela DRE no interior e tenho certeza de que até o final do ano outras ações ocorrerão demonstrando o trabalho de excelência executado pela delegacia especializada”.

O combate ao tráfico de entorpecentes e, consequentemente, a apreensão, tem reflexos na criminalidade em geral, como observa o secretário adjunto de Inteligência da Sesp, delegado Wylton Massao Ohara.

“Sabemos que a droga fomenta inúmeros outros crimes. Essas apreensões representam também redução da criminalidade, com reflexos nas estatísticas, com reduções importantes em índices criminais como roubos e furtos. E o trabalho integrado com as forças de segurança do estado e federal é importante nessa estratégia de combate ao tráfico”.

Acompanharam o ato de incineração os policiais civis da DRE, da Gerência de Operações Especiais (GOE), representantes da Perícia Oficial e Identificação Técnica (), da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), Polícia Militar, CIOPAer, Polícia Rodoviária Federal, Ministério Público Estadual, Poder Judiciário e Vigilância Sanitária. A também apoiou a operação para incineração.