Anúncios

Uma indígena identificada como Beatriz Morimã Tukumã, de 14 anos, foi assassinada com um tiro no rosto no final da manhã da última terça-feira (24), disparado pelo marido, também indígena de 19 anos, na aldeia Mayrob, que fica 70 km da cidade de (709 km ao Médio-Norte de Cuiabá). O suspeito foi preso em flagrante pelo crime de homicídio e alegou que ‘não sabia que a arma estava carregada’.

Uma enfermeira da aldeia que acionou a Polícia Civil sobre o crime.

Segundo relatos da testemunha, havia ocorrido um acidente com uma arma de fogo na aldeia, que resultou na morte na menor.

Beatriz foi encontrada já sem vida pela enfermeira e com uma marca de tiro na cabeça. O corpo chegou a ser encaminhado ao Hospital da cidade, onde foi constatado que o ferimento era proveniente de uma espingarda de calibre 32.

A arma de fogo foi apreendida em posse do convivente da vítima. Questionado sobre o que tinha acontecido, o suspeito afirmou que acreditava que a arma estivesse descarregada e que não desejou alvejar ou matar a vítima, com quem convivia em situação conjugal de fato há um ano, aproximadamente.

Após prestar esclarecimentos sobre o caso ao delegado Carlos Henrique Engelman, o suspeito foi autuado em flagrante pelo crime de homicídio.