Anúncios

O Comitê Temporário Integrado Multiagências de Coordenação Operacional de (Ciman-MT) encerrou, nesta quinta-feira (12.11), as atividades da fase resposta às queimadas e incêndios florestais. O Ciman atuou de forma integrada com demais órgãos do Governo, até o término do período proibitivo de queimadas.

A fase de resposta ocorreu durante o período de 01 de julho a 12 de novembro, considerado o período crítico devido às altas temperaturas e baixa umidade do ar.  O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBMMT), coordenou as ações de resposta em uma sala estruturada na Secretaria de Estado de Segurança Pública tendo ligação direta com a Secretaria Adjunta de Integração Operacional , conforme vinculação publicada no decreto que constituiu o Centro.

No período de janeiro a novembro de 2020, foram registrados 46.170 focos de calor em todo o Estado de MT. Houve um aumento de 54,5% em relação ao mesmo período do ano de 2019.

O ano de 2020 foi totalmente atípico, o bioma do Pantanal, por exemplo, que historicamente concentra os focos de calor nos meses finais do ano teve em 2020 os primeiros focos detectados já em meados do mês de julho.

Nesta fase o CBMMT adotou como estratégia a descentralização do controle, estruturação e operacionalização dos cinco instrumentos de resposta, através das Salas de Situação Descentralizadas (SSD): Unidade Operacional Bombeiro Militar – UOpBM já existente (resposta nível 1), Brigada Municipal Mista – BMM (resposta nível 1), Base Descentralizada Bombeiro Militar – BDBM (resposta nível 1), Equipe de Intervenção e Apoio Operacional – EIAOP (resposta nível 2).

Ao todo foram atendidas pelas equipes do CBMMT mais de 4.000 ocorrências durante o período proibitivo, com um montante de mais de 23.000 horas trabalhadas. Os municípios que mais tiveram a incidência dos focos de calor nesse ano foram de Poconé e Barão de Melgaço, refletindo, naturalmente, o grande incêndio florestal que atingiu toda a região.

No total, foram empregados durante todo o período proibitivo mais de 2.220 militares e civis para o combate aos incêndios florestais. Foram empregados também 7 helicópteros, 6 aviões e mais de 90 viaturas entre camionetes e Auto Bomba Tanque Florestal.

“O CIMAN-MT atuou de forma integrada e essa integração foi primordial para garantir deliberações conjuntas e otimização de recursos em todo o estado de Mato Grosso. Em nome do Corpo de Bombeiros Militar e do CIMAN, agradeço a todas as instituições envolvidas, ao Governo do Estado e a todos que ajudaram direta ou indiretamente, tendo em vista que atuamos juntos para preservar e proteger nossos biomas. E que essa integração se estenda e avance ainda mais no próximo ano’, finalizou o TC BM Dércio Santos, Coordenador Geral do CIMAN.