Anúncios

A Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira (5), um sargento reformado da Polícia Militar suspeito de estuprar a própria filha.

De acordo com o delegado Diego Lopes, foi a filha que denunciou os casos de abuso à polícia. Ele conta que o suspeito oferecia vantagens para que a filha pudesse mandar fotos para ele.

— Ele [suspeito] molestou diretamente sua filha tocando em seu corpo. Em troca de pensão alimentícia, que é uma obrigação dele, ele chantageava sua filha para que ela pudesse mandar vídeos e fotos em posições eróticas para ele.

Operação

A prisão faz parte da operação “Eu acredito em você”. Os policiais cumpriram três mandados de prisão preventiva e e dois de busca e apreensão. Além do sargento reformado, outros dois homens, inclusíve um idoso de 80 anos, foram presos.

Em um dos casos, a Polícia Civil descobriu uma troca de mensagens entre um suspeito de 48 anos com uma menina de nove. Na mensagem, enviada por meio de um aplicativo, ele pede uma foto dela de short.

A delegada Renata Ribeiro diz que o homem mandava fotos e vídeos pornográficos para a vítima, dizendo que eram feitos por ele.

— Ele encaminhava vídeos eróticos de crianças e alegava que esses atos sexuais estavam sendo praticados com ele. O suspeito incentivava a vítima a também agir daquela forma.

Segundo a delegada, o homem aliciava crianças e adolescentes virtualmente. Ele pode responder pelo crime de estupro.

— A gente segue as investigações para identificar essas vítimas. Ele pode responder inclusive pelo crime de estupro. A gente chama de estupro virtual, mas na verdade é um crime de estupro. A partir do momento que ele incentiva a vítima a praticar atos sexuais no próprio corpo, isso configura o crime de estupro.

Entre os presos também está um idoso de 80 anos, que abusou da neta dos 6 aos 9 anos, e que já tinha sido condenado pelo crime.

Balanço

Segundo a Polícia Civil, de janeiro a outubro deste ano foram registrados em todo o estado 5.835 casos de crimes sexuais contra crianças e adolescentes. São cerca de 19 ocorrências por dia.

Cerca de 84.64% das vítimas são do sexo feminino e têm idade entre 12 e 17 anos. Os meninos representam cerca de 14,58% das vítimas e têm idades em 0 e 11 anos. A delegada ressalta a importância da operação e das denúncias sobre abuso infantil.

— É extremamente importante falar sobre esse assunto. Nós não podemos deixar esses casos cair em esquecimento. Infelizmente esses casos ocorrem todos os dias.