Anúncios

A prendeu, na última sexta-feira (27), o homem que matou Rhayany Rhutila Moraes Silva, 30 e estuprou a filha dela, de apenas 11 anos, na madrugada de segunda-feira (23), em Barra do Garças (520 quilômetros de Cuiabá). Ele confessou o crime e afirmou que cometeu o homicídio porque ela o reconheceu.

O homem, identificado apenas como Jeferson, foi preso na porta de uma agência bancária na cidade de durante abordagem policial e não esboçou nenhuma reação. Ele foi conduzido à onde foi ouvido pela delegada Luciana Canaverde. Lá, contou em detalhes sobre o ocorrido.

O criminoso contou que estava embriagado e entrou na residência no intuito de cometer um roubo. As vítimas foram amarradas com um tecido e colocadas dentro de um quarto. Ele disse ainda que só se lembra de ter estuprado Rhayany, a quem matou asfixiada. Ela teria o reconhecido.

Durante o depoimento, o homem disse que não se lembrava de ter estuprado a criança. O inquérito será finalizado e deve ser encaminhado ao Judiciário na próxima semana.

O caso

De acordo com informações da Polícia Militar, uma vizinha percebeu o sumiço da vítima e foi procurá-la na casa, com um amigo. Ela chamou a amiga várias vezes, mas ninguém apareceu.

Com isso, acionou outro homem que pulou o portão e se deparou com a mulher amarrada e morta.

Ao chamar pelo nome da vítima, a amiga foi surpreendida pela filha, que saiu do quarto assustada e com as roupas amarradas pelo braço. Segundo a criança, um homem invadiu a casa e com uma faca, a amarrou e depois cometeu o estupro.

Acionada, a esteve no local e verificou que a mulher estava deitada de abdômen para o chão, amordaçada e amarrada dos pés à cabeça.