Anúncios

Exames do Instituto Médico Legal (IML) vão confirmar se Rhayany Rhutila Moraes Silva, 30, foi estuprada antes de ser morta asfixiada, dentro de sua casa, em Barra do Garças. O corpo dela foi encontrado na madrugada desta segunda-feira, amarrado pelos pés, mãos e amordaçado. A filha dela, de 11 anos, foi vítima de estupro e estava escondida dentro de casa em estado de choque.

Material genético de Rhayani foi colhido e está sendo analisado, para confirmar se ela foi vítima de crime sexual antes de ser morta, uma vez que a filha dela, de 11 anos, confirmou que foi estuprada pelo criminoso que invadiu a casa da família em posse de uma faca. O autor do crime está foragido.

Conforme registrado no boletim de ocorrência, amigos sentiram falta de Rhayany durante o domingo e foram até a casa dela. No local, encontraram o portão fechado e mesmo chamando pelo seu nome várias vezes, ninguém apareceu na porta.

Uma das testemunhas pulou o muro, abriu a porta e, ao entrar, encontrou o corpo da vítima amarrado, de barriga para baixo, dentro de um dos quartos. Em seguida, a filha dela, uma menina de 11 anos, apareceu em estado de choque, amarrada, dizendo que foi vítima de violência sexual.

A e o Corpo de Bombeiros foram acionados, confirmaram a morte de Rhayany e isolaram o local do crime. A menina foi acolhida pelo Conselho Tutelar, enquanto a e a Politec realizaram os dentro da casa.

O autor do crime está foragido, mas a e Militar está trabalhando para identifica-lo e prendê-lo o quanto antes.