Anúncios

O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, reafirma a ampliação de vagas para Educação de Jovens e Adultos () para o próximo ano letivo. A modalidade de ensino vai sair dos atuais 21 Centros de Educação de Jovens e Adultos (Cejas) para as demais escolas regulares para que os possam se matricular numa escola perto de suas casas.

Os Cejas serão remodelados para oferecer também regular e ampliar as vagas para esse segmento.

“Vamos intensificar a oferta para os nossos alunos trabalhadores, pois muitos deles ainda não ingressaram na EJA porque os centros ficam longe das suas casas. São pessoas que precisam de um espaço educativo mais próximos das suas residências. Por isso, as ofertas para esses trabalhadores não podem ficar restritos aos Cejas. Esta é a nossa realidade”, assinala.

O secretário Executivo da , Amauri Monge Fernandes, lembra que a Educação de Jovens e Adultos é um dos ciclos da educação básica e, portanto, não existe motivo para que os estudantes desta modalidade de ensino estejam separados dos demais.

Matrícula de jovens

O secretário executivo afirma que a maioria dos alunos matriculados na Educação de Jovens e Adultos está na faixa etária dos 15 aos 23 anos. 

“Somos contrários a essa separação dos alunos da EJA em ambientes físicos. Os alunos da EJA podem conviver com alunos do ensino médio regular ou mesmo ensino fundamental, em turnos diferentes”, explica.

No entendimento do secretário, os alunos precisam de um ambiente acolhedor e agregador com relacionamento social, pois a EJA é um ciclo da educação básica e faz parte do sistema da rede regular de ensino em .