Anúncios

Na noite deste sábado (19.09), por volta das 22h, os policiais penais do Centro de Detenção Provisória (CDP) de (334 km de Cuiabá) ouviram gritos de subversão e batidas nas grades das celas da unidade. Ao checar a situação, constataram que se tratava de um motim, iniciado por reeducandos de algumas celas.

Eles bateram nas grades e bigornas, amarraram colchões com toalhas e lençóis na frente das grades para dificultar o acesso e a visibilidade dos policiais penais, e também proferiram xingamentos. Após tentativa de diálogo e controle por meio de ordens verbais, os servidores iniciaram o primeiro enfrentamento, visando impedir a evolução do motim e a depredação da unidade, com disparos de calibre 12 (munição antimotim) e gás de pimenta.

A Superintendência Regional Oeste da Adjunta de Administração Penitenciária, vinculada à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), designou apoio tático operacional das unidades penais de Sorriso e Sinop. As equipes e a direção da unidade realizaram a intervenção e retomada das celas amotinadas.

Os reeducandos ignoraram novos comandos e, ao entrar nas alas, os servidores se depararam com todas as grades travadas por roupas e colchões. Para impedir a retomada das celas, os recuperandos arremessaram objetos como pedaços de concretos retirados da estrutura, garrafas de plástico, chinelos e restos de comidas contra a equipe de contenção.

Foi necessário uso de força, com disparos de espingarda calibre 12 com munição menos que letal, granadas de efeito moral, disparos de spray de pimenta e utilização de bastão TR24, conhecido como tonfa. Após o confronto, a situação foi controlada e os reeducandos do pavilhão foram retirados das celas e conduzidos ao solário da unidade para revista e análise de avarias estruturais.

Os sete recuperandos feridos receberam atendimento médico. Após vistoria, todos foram realocados nas celas e a intervenção encerrou por volta das 6h deste domingo (20.09). Como medida de segurança, dois reeducandos percebidos ao longo da ocorrência como lideranças do motim foram transferidos do CDP. O caso vai ser apurado para identificar todo os responsáveis, a fim de instaurar procedimento administrativo.