Anúncios

Maria Lima de Jesus e a filha recém nascida estão internadas em estado grave no Hospital Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis (215 km de Cuiabá) desde 10 de agosto. Em 29 de julho a gestante chegou à unidade em trabalho de parto, mas a equipe médica decidiu esperar porque a criança era muito prematura. O marido de Maria, Adalberto Moreira, acusa o hospital de negligência e afirma que a menina teve parte do couro cabeludo arrancado no parto.

O homem relata que a esposa estava com 33 semanas de quando se sentiu mal e foram para o hospital. Ela foi internada e permaneceu assim até 10 de agosto, quando os médicos decidiram fazer o parto. Durante o período, o esposo não pode visitar a mulher. Quando a viu novamente, ela já tinha dado à luz e estava muito inchada.

“Ela estava irreconhecível. Muito inchada e reclamava de muita dor”, relatou o homem. O pai viu a filha e percebeu a lesão na cabeça e a falta de parte lateral do couro cabeludo. Ele reclamou ao hospital e a unidade disse que está apurando o caso.

O homem contou que só teve acesso à esposa e ao que realmente tinha acontecido depois que o caso ganhou repercussão.
Além do dano à criança, a mulher também teve parte da bexiga cortada e reclamava de muitas dores. Antes da visita do esposo, o casal só se falava por mensagem de celular.

Mãe e filha seguem em estado grave.

Outro lado

Em nota, a assessoria do Hospital Santa Casa informou que já iniciou as apurações dos fatos, mas sempre com atenção principal aos cuidados com a recuperação da mãe e do bebê.

“Como sempre o hospital não medirá esforços para cumprir sua função no cuidado da saúde”, finalizou.