Anúncios

Hian Alves, indiciado pela morte de Danilo de Sousa Silva, cometeu o crime por ciúmes do padrasto do menino, Reginaldo Lima, segundo Polícia Civil (PC). Conforme exposto, o autor teria ciúmes da relação de Reginaldo com um pastor morador da rua. O assassinato teria o objetivo de atingir Reginaldo.

Segundo a polícia, Hian sabia que Reginaldo seria considerado suspeito, dado as passagens por violência, que ele possuía. A corporação descartou, também, que Reginaldo pudesse ter atuado como mandante.

A corporação encerrou o inquérito da investigação da morte do garoto Danilo de Sousa Silva e remeteu o caso ao Judiciário no domingo (9). Segundo exposto, Hian atraiu o Danilo para o matagal, onde ele foi encontrado, prometendo uma pipa ao garoto. Lá ele teria cometido o crime.

Vale lembrar que, no dia 31 de julho, o padrasto do menino, Reginaldo Lima, e o colega dele, Hian Alves, foram presos. À época, Hian confessou que ajudou o padastro de Danilo a matá-lo em troca de uma moto. Reginaldo, no entanto, negou a participação e disse que se trata de uma armação.

Danilo foi encontrado morto em um lamaçal próximo à casa em que vivia com a família, no Parque Santa Rita, em Goiânia. Ele estava desaparecido por quase uma semana. A perícia constatou que o garoto morreu em decorrência de sufocamento.

Hian foi indiciado por ocultação de cadáver e homicídio duplamente qualificado. Reginaldo ainda está preso, mas pode ser liberado nas próximas horas.